TRIBO FORTE #011 – JEJUM INTERMITENTE (O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O ASSUNTO)

Bem vindo(a) hoje ao DÉCIMO PRIMEIRO episódio do podcast oficial da Tribo Forte e o PRIMEIRO episódio com participação internacional.

Este é um episódio especial e você pode encontrá-lo aqui em VIDEO, ÁUDIO ou TEXTO.

Os podcasts são 100% gratuitos e episódios novos saem todas as terças-feiras.

Certifique-se de colocar seu email aqui em cima do site para ser avisado das novidades e de futuros podcasts.

No Episódio De Hoje:

Dr-Jason-FungPara começar, este episódio é especial e contamos com a presença ilustre internacional do Dr. Jason Fung direto de Toronto no Canadá.

Na minha opinião ele é uma das maiores (senão a maior) autoridade no mundo hoje quando o assunto é jejum intermitente para emagrecimento e saúde.

Como muito tem sido dito por aí hoje sobre jejum intermitente e muitos fatos e idéias contorcidas têm sido divulgadas, nada melhor do que nos atermos aos fatos e realmente entendermos como esta prática milenar pode nos ajudar a viver mais em forma e melhor.

Neste nosso papo recheado de informações de hoje, falaremos:

  • Jejum intermitente é uma prática saudável?
  • Quais são os maiores benefícios de saúde da prática do jejum intermitente?
  • Quem deve e quem não deve praticar o J.I ?
  • Como o J.I pode ajudar a solucionar as 3 principais causas do ganho de peso?
  • O que você pode comer/beber durante o jejum de forma a não quebrá-lo?
  • Mito ou verdade: Jejum intermitente causa perda muscular? Veremos…
  • Exercícios em jejum é uma boa idéia?
  • Mito ou verdade: Jejum intermitente gera um aumento da capacidade cerebral de foco e uma sensação aumentada de energia.
  • E ainda temos o quadro “O que vc comeu no almoço de ontem” onde eu, Dr. Souto e Dr. Jason Fung compartilhamos o que comemos na última refeição.
PS: Se você ainda não é MEMBRO VIP da Tribo Forte, considere se juntar a família agora mesmo, clicando AQUI!
 Tribo Forte - Se Torne Membro copy

Veja o Episódio De Hoje EM VÍDEO (com legendas):

Ouça o Episódio De Hoje:

Quer se juntar ao grande movimento e fazer parte da familia de membros VIP da Tribo Forte e ganhar acesso ao portal exclusivo e privilegiado e ao fórum para membros? Clique AQUI.

Você Precisa De Um Programa Comprovado De Emagrecimento?

Logo-Banner-quadrado1Abaixo eu coloco alguns dos resultados enviados pra mim por pessoas que estão seguindo as fases do Código Emagrecer De Vez, o novo programa de emagrecimento de 3 fases que é o mais poderoso da atualidade para se emagrecer de vez e montar um estilo de vida alimentar sensacional para a vida inteira.

Este programa é 100% baseado na melhor ciência nutricional disponível hoje no mundo.

Se quer colocar um sorriso novamente no seu rosto com um corpo e saúde que te dê orgulho, CLIQUE AQUI.

Alguns dos resultados REAIS de membros que estão finalizando os primeiros 30 dias do programa Código Emagrecer De Vez.

test15

test16

test17

Quanto_peso_1_mes_rtfd4

Quer seguir o Código Emagrecer De Vez você também? Clique AQUI e comece HOJE!

Referências do episódio

Livro do Dr. Jason Fung (em inglês)

Materia do NY Times sobre o peso dos participantes do “The Big Looser” (em inglês)

Resposta do Dr. Jason Fung ao assunto acima

Transcrição Completa Do Episódio

Rodrigo Polesso: Olá, olá! Terça-feira é o dia semanal da saúde. Seja bem-vindo a esse episódio especial e internacional do podcast da Tribo Forte. O podcast número 1 do Brasil em saúde, bem-estar, emagrecimento e estilo de vida. Hoje o podcast está realmente especial. Acho que vai ajudar a dissolver muitas dúvidas sobre um tópico bastante quente. O tema principal de hoje é a prática do jejum intermitente. Para falar disso, trago ninguém menos do que uma das maiores autoridades no mundo sobre esse assunto, que é o Dr. Jason Fung. Ele mora aqui no Canadá também. Tanto eu quanto o Dr. Souto o respeitamos bastante. Seguimos o Dr. Jason há bastante tempo. É uma grande honra ter aqui participando desse podcast oficial da Tribo Forte. Nós vamos falar em detalhes sobre essa prática do jejum intermitente. Falaremos como funciona a trataremos das principais objeções e também daremos dicas especiais ao longo do podcast. A prática correta do jejum intermitente, para emagrecimento, é muito poderosa. O jejum intermitente é uma das três partes do Triângulo do Emagrecimento, junto com a alimentação forte e a densidade nutricional. Esse triângulo é a base do programa Código Emagrecer de Vez. Aliás, postei ontem no canal do YouTube do Emagrecer de Vez um vídeo com o título “Emagrecimento em 30 dias. Resultados reais”. Eu compartilho para o pessoal ter uma ideia do que são resultados reais. É impressionante. Muitas pessoas estão acabando a primeira fase do programa. Se você tiver curiosidade, você pode dar uma olhada depois. Além do nosso papo sobre jejum intermitente, nós teremos o quadro “O Que Você Comeu no Almoço de Ontem?” onde nós três compartilharemos o que comemos no almoço de ontem. Estou curioso para saber o que o Dr. Fung comeu no almoço de ontem. Esse podcast está sendo gravado em vídeo. Ele será 100% legendado para que todos possam acompanhar. Então, se você está ouvindo a versão em áudio e não está confortável com o inglês (já que o Dr. Fang não fala português), vá no EmagrecerDeVez.com para ter a versão transcrita e legendada em vídeo. Um lembrete rápido para os Membros VIP da Tribo Forte: o bônus do episódio anterior (As 10 Dicas Especiais Para a Adaptação à Alimentação Forte, pela Nutricionista Polyana Freitas) está disponível no portal. Estamos prontos para começar nossa conversa. Vou mudar para inglês nossa conversa com o Dr. Jason Fung. Para começar, Jason Fung e Tim Noakes acabaram de publicar um ótimo livro chamado “The Obesity Code”. Ele está disponível no Amazon e em todas as grandes lojas. Eu recomendo que todos deem uma olhada. Eu gostei muito. Dr. Souto também gostou. Belo trabalho, Jason. Bem-vindo ao podcast, é uma honra tê-lo aqui hoje.

Dr. Jason Fung: Obrigado por me chamar. Isso é ótimo.

Rodrigo Polesso: Boa tarde, Dr. Souto. Como está?

Dr. Souto: Fantástico.

Rodrigo Polesso: Fantástico. Esse é um ótimo momento para a saúde brasileira. Espero que possamos compartilhar muitos conhecimentos para aprimorar a vida das pessoas. Para já começar no bem, gostaria de falar sobre o básico sobre jejum intermitente e depois entrar em tópicos mais avançados. Sabemos que jejum intermitente é uma prática muito antiga. Até mesmo hoje é algo que bilhões de pessoas no mundo todo fazem todos os anos (principalmente por religião). Se você está ouvindo isso e nunca ouvi falar sobre jejum intermitente antes, essa prática consistente em basicamente não comer por um período limitado de tempo – 12 horas, 16 horas, 18 horas, 24 horas, 36 horas ou mais. As pessoas hoje em dia são muito céticas sobre ficar sem comer por um tempo. Elas têm medo de ficar sem comida por algumas horas por causa dessa mania criada pelo mundo moderno e pelos conselhos errados que recebem. Para já começar tirando essa dúvida do caminho, vamos começar com essa pergunta: Dr. Fung, jejum intermitente é uma prática saudável?

Dr. Jason Fung: Com certeza. Você tem que entender que jejum é simplesmente o oposto de comer. Todo o momento que você não está comendo, está de jejum. Tecnicamente é isso. Se você parar para pensar, perceberá que precisa de um equilíbrio. Como tudo na vida, você tem que ter um equilíbrio entre comer e fazer jejum. Às vezes você precisa comer, e às vezes você precisa fazer jejum. No mundo moderno, nós temos a ideia errada de que precisamos começar a comer no momento em que saímos da cama até irmos dormir. O único momento em que não estamos comendo é quando estamos dormindo. Mas essa prática nem sempre foi parte da humanidade. Não costumávamos ficar tentando comer a todo momento. Temos muitas coisas para fazer. Temos que trabalhar e etc… Temos muito o que fazer. Então, nós sempre começamos a comer de manhã… Café da manhã, almoço e janta. Essa é a tradição na América do Norte. Você começa a comer às 7 da manhã e termina às 7 da noite. Seria mais ou menos como 12 horas de alimentação e 12 horas de jejum. Então, é equilibrado. Mas as pessoas comem constantemente durante o dia, não somente no café da manhã, almoço e jantar. Nos Estados Unidos (onde esses dados são mais disponíveis) em 1977 as pessoas costumavam comer 3 refeições por dia (café da manhã, almoço e jantar). Quando eu estava crescendo, nos anos 70, se você tentava comer fora de hora, sua mãe não deixava comer. Era simplesmente assim. Todos nós vivíamos assim. Agora, em 2005, por exemplo, o número médio de refeições subiu para 6 nos Estados Unidos. Nós dobramos o número de vezes que comemos durante o dia. Então, se você está comendo a todo o momento, é lógico que você vai ganhar peso. Por alguma razão, pensamos que isso nos faria perder peso. Como que comer mais frequentemente nos faria perder peso? Como que isso funcionaria? Não faz o menor sentido. Esse é o problema. Você precisa dar uma chance para que seu corpo digira para queimar um pouco da energia alimentar que você colocou na sua boca. Isso é um processo normal. Você come de 10 a 12 horas por dia e faz jejum de 12 a 14 horas por dia. Tudo fica equilibrado e as pessoas se sentem ótimas. Essa é a ideia. Se você deseja perder peso, você pode aumentar o período em que está fazendo jejum. O que vai acontecer quando você fizer jejum? Se corpo vai queimar um pouco da energia alimentar que você colocou na boca. É isso que vai acontecer. Você não vai morrer. E quando as pessoas ficam ocupadas demais e têm que pular o almoço pois estão muito ocupadas? Às vezes elas passam 24 horas sem comer e ninguém morre! Todos nós já fizemos isso. Na verdade, quando estamos ocupados, nem percebemos. O que acontece com o corpo? Seu corpo começa a queimar a energia armazenada (açúcar e gordura). Se você queimar todo açúcar, você começa a queimar a gordura também. É só isso! É só isso que acontece. Tudo fica bem. Temos essa ideia de que vamos nos matar ou arruinar o nosso metabolismo. Mas fomos projetados dessa forma. Se não tivéssemos sido projetados dessa forma, não estaríamos aqui. Quando éramos homens da caverna, existiam dias durante o inverno que não tinha comida e as pessoas não comiam. É isso! Nossos corpos viviam da comida armazenada. É para isso que serve a gordura – ela é energia alimentar armazenada. Ela está lá para você usar quando não tiver comida. Então, se você sempre tem comida, você nunca queimará aquela gordura. Por que queimaria? Seu corpo é inteligente. Aquilo está armazenado, então quando você não tem o que comer, você tem algo estocado. Mas você sempre tem alguma coisa na boca, desde o momento que você acorda até dormir. Então o corpo diz “não vou queimar a gordura, então”. Sempre falamos sobre comidas que devemos e não devemos comer. Devemos comer trigo, pão, carboidratos, gordura? Sempre falamos disso. Para muitos alimentos, isso faz a diferença. Concordamos que açúcar não é muito bom para você, que pão branco não é muito bom para você. A maioria das pessoas concordam que muitas das gorduras não são tão ruins para você… existe um debate sobre a gordura saturada, mas o abacate, azeite, nozes… todos concordam nesse ponto. Mas ninguém discute sobre quando comer. É OK não comer às vezes. Essa é a ideia. Em inglês, temos a palavra “breakfast”. Pense nessa palavra. É uma refeição e quebra o jejum. Isso significa duas coisas. A primeira é que temos que fazer jejum todos dos dias, por 12, 14, 16 ou 24 horas. Você tem que fazer jejum todos os dias. Você não pode quebrar o jejum sem fazer jejum. O problema é que ultimamente quase nunca estamos fazendo jejum. Comemos o tempo todo e ainda assim comemos café da manhã. Você não precisa comer assim que acorda. Você pode fazer o desjejum ao meio-dia se quiser. Você pode até fazer na janta. Não importa. O importante é o que você come para fazer o desjejum, mas não precisa ser às 8 da manhã. Se você analisar o ritmo circadiano da fome, você verá que a fome está no ponto mais baixo às 8 da manhã e no ponto mais alto às 8 da noite. Então, se você não está com fome, você está se forçando a comer um pão com geleia e suco. Essa não é uma boa estratégia para se perder peso. Você não está com fome, mas vai colocar alguma coisa na boca mesmo assim. Não é uma boa estratégia para se perder peso. É melhor pular o café da manhã. Você pode tomar um café com um pouco de nata e ir até às 11 ou 12 horas. A palavra francesa para café da manhã é petit déjeuner, que significa “pequeno almoço”. Então, os franceses entendem que a maioria das pessoas não estão com fome pela manhã. Então não comam! Isso é seu corpo te dizendo que você não precisa comer. Muitas pessoas dizem “não terei energia.” Isso é balela. Sua glicemia estará completamente normal. Na verdade, alguns processos começam um pouco antes de você acordar, usando hormônios contra reguladores. Esses hormônios são cortisol, epinefrina, e hormônio do crescimento, além de outros hormônios contra reguladores. Esses hormônios injetam um pouco de glucose em nosso sistema. Eles pegam o açúcar armazenado que você tem de ontem e colocam no sistema. Então, estou sangue já está pronto para o dia – você já está abastecido. Você não precisa colocar comida na boca para fazer isso. Você pode ficar sem comer de vez em quando. Tudo o que vai acontecer é você perder peso. Essa é a ideia. O jejum intermitente é uma estratégia poderosa que ninguém está usando. Por que? Precisamos de todas as ferramentas disponíveis para lutar contra a obesidade. É difícil. Obesidade e diabetes do tipo 2 são problemas difíceis. Precisamos de todas as ferramentas. Você não pode simplesmente jogar fora a ferramenta mais poderosa que tem. É ridículo fazer isso e procurar motivos para colocar comida na boca quando não está com fome. “Temos que comer a cada 2 horas e meia.” Estou ocupado! Não quero sair procurando algo para comer a cada 2 horas e meia. Muitas vezes eu não almoço porque não quero me desconcentrar. Não tem problema em fazer isso – essa é a ideia. Algumas dessas ideias modernas que criaram essa epidemia de obesidade não se baseiam em evidências. Nós não temos comido a cada 2 horas e meia pelos últimos 2 mil anos. Não! Não temos feito isso. Sempre comemos quando estamos com fome e quando é conveniente. Às vezes uma vez por dia e às vezes 3 vezes por dia. Mas nunca 6 vezes por dia.

Rodrigo Polesso: Parece ser óbvio que quando discutimos isso. Coma quando estiver com fome. Não coma se estiver ocupado. Todos nos ensinam a comer quando saímos da cama e continuar a comer durante o dia. Nós ouvimos tanto isso que acreditamos ser verdade! As pessoas tem medo de pular um lanche porque têm medo de se sentirem cansadas ou doentes. Essa foi uma ótima introdução ao assunto. Além dos benefícios de perda de peso através do jejum intermitente, eu gostaria que você mencionasse alguns benefícios gerais para a saúde.

Dr. Jason Fung: Existem muitos benefícios do jejum que nem sabemos. O mais óbvio é a perda de peso. Obviamente, se você não comer, seu peso cairá. O outro benefício é para a diabete tipo 2. Você tem que tomar cuidado se está tomando remédios, mas se você não comer tanto sua glicemia irá baixar. Ninguém discutirá que isso acontecerá. Se sua glicemia baixar, você não precisará tomar remédios. Além disso, existem outros benefícios. Especialmente durante os jejuns mais longos, você terá um aumento no hormônio do crescimento. Quando as pessoas envelhecem, os hormônios do crescimento começam a cair. Se você não tem hormônio do crescimento e o substitui, você consegue mais densidade dos ossos, e maior crescimento de músculos. Na verdade, ele pode até ter propriedades de antienvelhecimento. Não usamos hormônio do crescimento em pessoas normais, porque existe um risco. Se você der somente doses exógenas de hormônio do crescimento, você pode ter problemas de miocardiopatia. Mas se você produzir mais naturalmente esses hormônios, especialmente quando estiver mais velho, você poderá prevenir alguns problemas incluindo osteoporose e sarcopenia, que é a perda de músculos com a velhice. Também existe um processo chamado de autofagia, que é estimulado pela restrição de proteína e jejum. O jejum reduz tudo. A autofagia é bem interessante. Muitas pessoas estão entrando nesse processo. É um processo de limpeza de lixo subcelular. Essas partes subcelulares estão praticamente estragadas. Seu corpo precisa se livrar delas. Isso é algo bom, porque elas estão velhas e precisam ser substituídas. É como quando você está tirando algo do lugar para colocar algo mais novo. Quando você renova sua casa, você não pode simplesmente colocar algo novo. Você precisa tirar o que está velho antes. Não dá para simplesmente construir armários novos por cima. Você precisa tirar os armários velhos para colocar os novos. É exatamente isso que o jejum faz. A autofagia é um processo que se livra dessas partes subcelulares velhas e o hormônio do crescimento ajuda a colocar as novas. Essencialmente, você está se renovando. Existem muitos estudos interessantes sobre Alzheimer. Se você analisar patologicamente, Alzheimer é como se fosse nós neurais. Existe esse lixo cerebral que você pode ser em estudos patológicos. Alguns acreditam que uma das coisas benéficas para a prevenção de Alzheimer é fazer jejum. Dessa maneira você estará dizendo para seu corpo se livrar do lixo. Ele limpará tudo. Com essa limpeza, você pode prevenir o desenvolvimento de Alzheimer. Alguns dados sugerem que isso pode ser verdade. Isso é animador. A outra coisa é o câncer. Câncer é um grande problema para todos. Uma das coisas que contribui para o câncer são níveis altos de insulina. O crescimento da insulina é um fator de crescimento. Se você tem fatores de crescimento enquanto é criança, isso é bom, porque você está crescendo. Mas quando você está mais velho, tudo o que estimula o crescimento não é tão bom, já que as células que tipicamente crescem mais rápido são as cancerígenas. Diminuindo a insulina, você ajuda a diminuir o risco de câncer. Outra coisa que as pessoas falam é sobre o efeito Warburg. Se você baixar sua glicemia… As células cancerígenas metabolizam glicose, então elas não usam ácidos gordurosos e cetonas. Portanto, você pode matar essas células cancerígenas de fome antes delas se tornarem um problema. Algumas pessoas recomendam um jejum de uma semana por ano. Isso seria interessante. Isso mataria as células cancerígenas uma vez por ano. Você se limparia, preveniria o câncer, Alzheimer, e perderia peso. O interessante é que essas ideias são velhas. As pessoas chamam isso de limpeza, detox, purificação. Se você analisar as religiões, verá que durante o Ramadã existe um mês de jejum… Você pode fazer jejum por até 40 dias e 40 noites… Então, essas ideias não são novas. Uma vez por ano você pode fazer uma limpeza de 5 dias, 7 dias ou 1 mês. Você que sabe. Essas ideias estão por aí já faz um tempo. Isso é uma certeza de que se existissem problemas, as pessoas já saberiam deles. Mas não existem muitos problemas. Analisando as doenças: câncer, Alzheimer, doença cardíaca, diabetes, obesidade… É possível ver que todas elas são alteráveis com intervenções na dieta. Essa é a sacada do século 21. Não temos muitos problemas com infecções hoje em dia. As pessoas estão falando muito sobre o zika vírus. Mas não é um grande problema para a medicina moderna ocidental. Nós temos dificuldade com câncer, doenças cardíacas, Alzheimer, diabetes e obesidade. Todas essas doenças podem ser prevenidas fazendo essas coisas simples que as pessoas sempre fizeram.

Rodrigo Polesso: Essa é uma boa afirmação. É algo poderoso. Fazendo o oposto você pode ficar nesse estado anabólico durante o dia todo e todas essas coisas boas não acontecerão. Nós prevenimos a limpeza dos nossos corpos e todo o resto! Nós alimentamos as células cancerígenas. Fazemos o oposto do que deveríamos porque estamos constantemente comendo. Só uma área sai ganhando com isso: a indústria. Isso é triste. Imagine que alguém é obeso e tenha diabetes do tipo 2. Essa pessoa precisa perder peso. A pergunta é… para evitar que as pessoas comecem a fazer coisas erradas… quem deveria fazer jejum e quem não deveria? Eu acho que o Dr. Souto. Tem uma pergunta mais específica sobre o mesmo assunto.

Dr. Souto: Na verdade, eu tenho um blog e as pessoas frequentemente me perguntam se jejum faz bem para as mulheres. Existem alguns bloggers na blogosfera paleo que dizem que o jejum é OK para os homens mas que pode ser problemático para as mulheres, por causa da tireoide. Baseado na sua prática e na literatura… jejum é bom para as mulheres?

Dr. Jason Fung: Isso não é verdade. Eu sei de qual post você está falando. É até risível que alguém que leu alguns estudos feitos em ratos e agora se acha um expert. E agora acham que podem dizer que jejum não é para mulheres. Vamos recapitular. Desde o tempo de Jesus Cristo, há 2000 anos, os homens e as mulheres tem feito jejum. Existem pessoas que estão devem fazer jejum. Crianças não são parte da tradição de jejum. Elas estão crescendo, então não queremos parar o crescimento. Sem dúvida, deixe-as fora dos jejuns de mais de 24 horas. Se uma criança quer somente pular o café da manhã, não tem problema. Mas não fique o dia inteiro sem comer. Quando estão excrescendo, as crianças precisam de comida. Além delas, as pessoas que estão abaixo do peso. Se seu IMC mostra que você está abaixo do peso, talvez você não deva fazer jejum, já que seu peso está menor do que deveria. O mesmo se aplica à gravidez. O desenvolvimento fetal é crítico. Isso pode causar danos irreversíveis. O mesmo vale para as mulheres que estão amamentando. Não é bom fazer. Existem muitos momentos certos para se fazer. Outro momento errado é quando você está tomando medicamentos. Você até pode fazer jejum, mas precisa de supervisão médica. Esses são os momentos que você realmente não deve fazer jejum. São poucos. São realmente poucos momentos que você não deve fazer jejum. Agora, falando especificamente sobre as mulheres, a razão pela qual as pessoas ficam preocupadas é que se sua gordura corporal ficar muito baixa, a pessoa pode perder o ciclo menstrual. A pessoa pode ter amenorreia, ou seja, pode ficar sem menstruar. Perdão. Mas não é esse o caso aqui. Se você está abaixo do peso, não deve fazer jejum. Se você está acima do peso e quer perder peso, não tem problema em fazer jejum. Você com certeza pode. Não tem problema. A mesma coisa serve para a tireoide. Não sei exatamente da onde vem tudo isso. Mas com certeza não tem nada a ver com a tireoide. Quando você faz jejum, seu corpo queima glucose e gordura. Não tem nada a ver com a tireoide, nem com a doença de Hashimoto (que é autoimune). Também não tem a ver com iodo. Mas realmente não tem a ver com a tireoide. Se você analisar as mulheres, verá que elas nunca ficaram de fora dos jejuns, exceto nas condições que disse: gravidez ou amamentação. As religiões que mais faziam e mais fazem jejum, como budistas e mulçumanos, não deixam as mulheres de fora. Existiram milhões de mulheres na história que fizeram jejum. E elas sempre ficaram bem. Analisando os estudos que pesquisaram o jejum, dá para ver que homens e mulheres se saem quase iguais. Temos provavelmente 56% de mulheres na nossa clínica. Já colocamos mais de mil pessoas em jejum e todas se saíram praticamente iguais. Alguns dizem que “não funciona em mulheres” ou que “elas acabam tendo vários problemas”. Bem, os homens têm problemas também. Não é somente diversão quando você faz jejum. Então, sim, mulheres têm problemas, homens têm problemas e esses problemas são iguais. Às vezes as mulheres não perdem peso, mas às vezes os homens não perdem também. Quando você tem experiência de verdade, com homens e mulheres, você verá que eles tem uma performance quase igual. Então, não existe razão para que mulheres não façam jejum. Você estaria simplesmente deixando de lado a ferramenta mais poderosa. Você estaria comendo o tempo todo e se perguntando porque não perde peso. E daí se você é uma mulher? O que isso tem a ver? Infelizmente, o único artigo que fica sendo repetido sobre esse assunto diz “eu li alguns estudos e agora sou um expert.” Mas aquelas pessoas não têm experiência com jejum. Elas não tratam pessoas como eu trato todos os dias com jejum. Isso faz parte da nossa clínica. Não tem diferença entre homens e mulheres. É ridículo. Seria como dizer “eu li dois livros sobre basquete e agora estou pronto para jogar na NBA.” Não! É a mesma coisa. “Eu li três estudos sobre jejum e agora sou um expert!” Vá conseguir experiência, leia todos os estudos, daí você poderá se chamar de expert. Tem um post feito pelo Alan Aragon que escreveu algo sobre jejum intermitente que é simplesmente risível. “Eu li todos os estudos dos últimos 10 anos e agora sou um expert.” Você tem zero experiência com pessoas de verdade. Até que você tenha experiência, não finja que você é um expert e eu não fingirei que estou pronto para jogar na NBA.

Rodrigo Polesso: Perfeito.

Dr. Souto: Que bom que você disse isso. Concordo 100%. Só queria que você deixasse claro.

Dr. Jason Fung: Ótimo.

Rodrigo Polesso: Agora nós temos uma pergunta dupla sobre o mesmo assim. Quando falamos de perda de peso, inspirado pelo seu trabalho, eu geralmente digo que existem 3 grandes causas para a obesidade: insulina, resistência à insulina e cortisol. Essas são as três maiores. Quais são os benefícios do jejum intermitente, especificamente para essas três causas e que resulta em perda de peso? O Dr. Souto também tem uma pergunta adicional sobre o mesmo assunto.

Dr. Jason Fung: A grande causadora de ganho de peso é a insulina. Isso remete à pergunta “por que ganhamos peso”. É uma pergunta interessante sobre a qual falo bastante no livro “The Obesity Code”. Todos pensam que o problema são as calorias, mas não tem nada a ver com calorias. Existe um problema em comum com as calorias, já que algumas coisas que contêm calorias aumentam a insulina. Mas não é algo proporcional. Existem alimentos, por exemplo, como pão branco, que tem somente uma certa quantidade de calorias, mas aumenta bastante a insulina. Mas a manteiga, por exemplo, você comerá o mesmo número de calorias, mas sua insulina não aumentará. O que importa é que como o corpo reage com a insulina. A insulina diz ao corpo para ganhar peso. A resistência à insulina tem o mesmo efeito no longo prazo. Se você estimula a produção de insulina o tempo todo, você pode eventualmente desenvolver a resistência à insulina. É interessante porque todos reconhecem que a resistência à insulina é um grande fator. Mas quando você pergunta o que causa a resistência à insulina, as pessoas dão várias desculpas. “Inflamação, estresse oxidativo.” Essas são somente palavras bonitas que não significam nada. Para mim, a resposta está na própria palavra. A resistência à insulina é a tentativa natural do corpo de resistir à insulina alta. É exatamente isso. Se você usar fones de ouvido e colocar uma música muito alta, você pode ficar surdo. O corpo vai tentar resistir à música alta. Então, a reação natural é aumentar a música. Mas se você aumentar a música, você vai ficar mais surdo. É uma abordagem errada, porque é assim que nosso corpo age. Ele se torna resistente à insulina e produz mais insulina. Ele entra nesse ciclo vicioso, assim como nos fones de ouvido. A resposta não é dar mais insulina, mas sim dar menos insulina, assim como nos fones de ouvido. É melhor abaixar o volume. É assim que você pode restaurar a sensibilidade e quebrar a resistência. É a mesma coisa com a insulina. Se seu corpo está tentando resistir o alto nível de insulina, não aumente o nível de insulina, porque você terá mais resistência. Você deve baixar muito seus níveis de insulina. Você verá isso em todos os casos, em todos os sistemas biológicos. Se você tem resistência a antibióticos, sua reação imediata é dizer “vamos dar mais antibióticos”. A resistência aos antibióticos é desenvolvida para resistir os altos níveis de antibióticos. Então, dar mais antibióticos não funcionará. A resposta é o oposto do que você acha que é, ou seja, usar menos antibióticos. O mesmo se aplica aqui. Você precisa de níveis baixos de insulina por um período de tempo (10, 15, 20 horas). Se você já é resistente à insulina, você precisará de períodos mais longos sem insulina. É assim que tem que ser. Essas coisas não se desenvolvem em dois dias. Elas se desenvolvem durante décadas. Existe mais uma coisa sobre a resistência à insulina que é importante de se entender. Se você analisar as teorias da obesidade, verá que as pessoas acham que tudo gira em torno de calorias e carboidratos. Se for somente os carboidratos, alguém que é obeso por 10 anos terá a mesma dificuldade em perder peso do que alguém que é obeso por 10 dias. Mas não é a mesma coisa! Todos sabem que a pessoa que é obesa por 10 anos tem uma dificuldade maior do que quem é obeso por 10 dias. Nesse segundo caso, o peso sai e não volta mais. As pessoas obesas há muito tempo entraram no ciclo vicioso da insulina alta, o que levou à resistência e isso levou aos níveis ainda mais altos de insulina, o que leva a mais resistência. Esse ciclo vicioso não para. Se você está no ciclo por muito tempo, é difícil quebra-lo. Falamos nessa semana sobre o Biggest Loser. Existe um artigo sobre esse pessoal do Biggest Loser. Essas pessoas são obesas há muito tempo. Elas tem uma grande resistência à insulina. Elas não resolveram o problema com jejum intermitentes, então, o que aconteceu? Assim que pararam com os exercícios, o peso voltou. O metabolismo deles estava muito baixo. Sabemos disso já há 50 anos. Não é nada novo. O estudo mostra isso muito bem. Isso é um problema de longo prazo e jejum intermitente pode te ajudar. Ele pode te ajudar a quebrar o ciclo da resistência à insulina e baixar os níveis de insulina – que são as coisas que realmente fazem as pessoas ganhar peso. É uma ferramenta poderosa. Temos a usado há muito tempo. Usamos essa ferramenta há milhares de anos com muito sucesso. Agora decidimos que não queremos mais usá-la e nos perguntamos porque não perdemos peso. Bem, você não está perdendo peso porque não está usando as ferramentas disponíveis.

Rodrigo Polesso: Perfeito. Dr. Souto, você tem uma pergunta adicional sobre esse assunto?

Dr. Souto: Acho que vou pular essa pergunta porque teremos perguntas melhores.

Rodrigo Polesso: Certo. Você disse que essa estratégia tem sido usada por milhares de anos mas que somente agora é uma novidade! Estamos apresentando o jejum intermitente para a maioria da população. É engraçado como algo tão velho pode ser tão novo agora.

Dr. Jason Fung: É engraçado, porque uma geração inteira cresceu com a ideia de que nós temos que comer o tempo todo. Agora nós estamos nos perguntando porque ganhamos peso. Todos estão buscando informação agora porque essa é uma geração perdida. Quando você está fazendo jejum por uma semana ou um mês, você faz com uma comunidade. Seus pais dizem “sim, vamos fazer jejum por alguns dias” por causa da Páscoa ou Ramadã… Todos sabiam como lidar com isso. Mas agora ninguém mais sabe. Estou escrevendo um livro sobre jejum. Ninguém sabe lidar com o problema porque nunca o encararam. Ninguém sabe o que esperar. Sempre achei que deveria fazer como a Apple e fazer um “Guia Rápido de Uso” sobre jejum. O guia iria dizer somente “não coma”. Mas as pessoas têm muitas perguntas sobre isso. É incrível. Mas as vantagens são enormes. Fazer jejum não é algo que você precisa adicionar à sua vida. Você não precisa tentar fazer, é algo que você precisa não fazer. É o oposto da dieta, e tem uma gama de vantagens. Por exemplo, você pode dizer que “devemos comer gado que se alimenta somente com pasto” – isso é ótimo, mas é caro. Fazer jejum é grátis! Não é somente grátis, mas faz você poupar dinheiro. Você talvez diga que “devemos sempre comer comida caseira”. Ótimo! Mas muitas pessoas não têm tempo. Fazer jejum te poupa tempo. Ele não toma seu tempo e ainda te dá mais tempo. Além de poupar dinheiro. Você pode fazer isso a qualquer momento. Você pode fazer nessa semana e não fazer semana que vem. A vida é assim. “Essa semana estou muito ocupado, então vou ganhar um pouco de tempo fazendo jejum e trabalhando durante o almoço. Vou tomar uma café ou um chá.” Você poupa tempo assim. Na próxima semana, talvez eu não faça jejum. Daí eu posso sair para almoçar com os amigos. Beleza! Não importa. Você pode fazer jejum quando quiser, onde quiser. Não precisa de um tempo extra. Não é algo que precisa ser adicionado à sua vida. Você não estará tentando deixar sua vida mais complexa. Nossas vidas já são complexas o suficiente. É uma maneira poderosa de simplificar sua vida. Não precisa comprar nada. Não precisa cozinhar nada. Não precisa preparar nada. Não precisa cozinhar nada. Não precisa comer nada. Não precisa limpar nada. Nada – só isso! Não importa qual dieta você segue, você pode fazer jejum. Se você não come glúten, beleza! Você pode fazer jejum. Se você não come carne também. Se você tem alergia a nozes, você pode fazer jejum. Não importa. Você pode encaixá-lo em qualquer momento. Não é algo que você faz, mas sim simplifica. “Você deveria contar suas calorias e seus carboidratos.” “Você tem que comer gordura 35% e não 34%.” Quem tem tempo para isso? O que é mais simples? Você precisa perder um pouco de peso. Pule algumas refeições. Você perderá peso. Ótimo. Funciona. É muito poderoso. Quem vai falar que não funciona? Você pode falar que dietas low-carb não funcionam. Você pode discutir que dietas de baixa gordura não funcionam. Mas você não pode discutir que fazer jejum não funciona. Vai funcionar, não importa no que você acredita. Vai funcionar.

Rodrigo Polesso: Perfeito. Falar sobre não comer me leva ao próximo assunto… Nós falamos o que comemos ontem no almoço. Então, antes de nos aprofundarmos nos tópicos avançados sobre jejum intermitente, eu quero perguntar para nós três o que comemos ontem no almoço. Isso dará ideias para as pessoas. Eu acho que podemos começar com o Dr. Souto.

Dr. Souto: Ok. Eu geralmente começo o almoço com uma grande salada com azeite. Ontem eu comi carne moída com cebola, repolho e cenoura. Só isso. Muito simples.

Rodrigo Polesso: Simples é ótimo. Dr. Fung?

Dr. Jason Fung: Eu comi um hambúrguer, mas sem o pão. Estou geralmente trabalhando, então almoço na cantina do hospital. Eu geralmente como uma salada. Não estava afim de comer salada, então comi um hambúrguer. Ontem eu comi o hambúrguer com o resto do sanduíche aberto no prato. É como se fosse uma salada com hambúrguer.

Rodrigo Polesso: Legal. Ontem eu comi flexi bread com uma omelete de 3 ovos com cebolas, bacon e queijo. Muito delicioso. Passei uma manteiga no flexi bread e esquentei no micro-ondas com um pouco de canela. É excelente, simples, rápido e nutritivo. Ótimo, acho que as pessoas vão aprender algo. Agora podemos fazer algumas perguntas rápidas. Sobre o que podemos comer ou beber enquanto fazemos jejum. Essa é a grande questão. Se faço jejum por 18 ou 16 horas… Posso comer ou beber durante o jejum? Se sim, o que posso comer? Quais são minhas opções? Isso me leva à pergunta dos adoçantes não-calóricos. É uma pergunta interessante. O que podemos comer ou beber enquanto fazemos jejum sem quebrar o jejum?

Dr. Jason Fung: Existem várias variações. O jejum clássico é feito somente com água. Mas existem variações. O jejum seco é sem beber e sem comer. Não recomendo isso. Mas muitas pessoas fazem isso. Porque você não está somente se privando de comida, mas está se desidratando. Algumas pessoas dizem que você quebra a gordura e isso pode produzir água. Não sei exatamente como isso funcionaria. Mas algumas pessoas dizem isso. Eu nunca recomendo jejum seco. Durante o Ramadã (que é a tradição mulçumana de jejum), o jejum é seco. Então você não come nem bebe. Pelo o que me dizem, é muito mais difícil do que fazer jejum quando você pode beber. Para esse motivo religioso, isso está OK. Mas por motivos de saúde, eu nunca recomendo o jejum seco. Daí temos o clássico, que é o jejum somente com água. É basicamente isso. Somente água e mais nada. Esse é o jejum clássico. Mas existem variações que funcionam bem. Você pode adicionar chá. Chá de ervas é excelente. Não há calorias nele. Você também pode adicionar café. Café também não tem calorias. A questão que surge é: “Posso adicionar adoçantes?” Obviamente, açúcar e mel estão fora. “Posso adicionar coisas como nata?” Não sei se isso é moda onde vocês moram, mas existe o “bulletproof coffee”. Essa é uma variação chamada de “jejum de gordura”, que é o jejum no qual você só come gordura. A ideia é se o problema é insulina alta, o objetivo é baixar a insulina. A manteiga tem muita calorias, mas não aumenta a insulina. Se você comer gordura pura, tipo azeite, o efeito na insulina é muito baixo. Então você obtém a maioria dos benefícios de fazendo um jejum de gordura, mas consumindo calorias. Não sou muito fã de bulletproof coffee. Mas muitas pessoas se dão muito bem com bulletproof coffee. Fisiologicamente, faz sentido que essas pessoas se deem bem, porque elas estão consumindo muitas calorias, mas não estão estimulando a insulina. É assim que você consegue os benefícios. Essas são as variações. Acho que são razoáveis. Eu aconselho as pessoas a tomarem bulletproof coffee, por exemplo… se você quiser fazer jejum tomando esse tipo de café, sem problemas. Se você estiver obtendo resultados, ótimo! Não me importo com o que você faça. Se você está perdendo peso, se você está se sentindo bem tomando bulletproof coffe e fazendo jejum por algumas horas, faça isso. Se você não está tendo os resultados, então deve parar com o café e tentar o jejum mais clássico de água ou chá de ervas. Algumas pessoas se dão bem com o café. Algumas adicionam nata. Mas sem adoçantes. Adoçantes artificiais não têm calorias, mas na nossa clínica dizemos “não” para eles. Os adoçantes artificiais são feitos de compostos químicos artificiais. Eles simplesmente são compostos doces que não te matam. Mas não significa que são bons para você. Tenho minhas dúvidas se eles realmente ajudam em alguma coisa. Muitos deles estimulam a insulina. Se você estimula a insulina, mesmo sem calorias, isso será um problema. Se você injetar alguém com insulina e não der calorias, a pessoa ainda assim ganhará peso. Seu corpo fará os ajustes necessários sob as direções dessa situação. Então, com certeza dizemos “não” para esses compostos químicos. A outra variação que usamos bastante é caldo de ossos. Caldo de ossos tem proteínas e calorias. Às vezes tem também um pouco de gordura. Usamos o caldo por duas razões. Primeiro que ele é bom para os jejuns mais longos. Ajuda a pessoa a ficar na linha. As pessoas simplesmente o bebem. A proteína ajuda a prevenir a síndrome de realimentação. Isso nos jejum de uma semana ou mais. O caldo de ossos é bem útil. Ajuda a pessoa a ficar na linha. E também preenche mais a barriga. É algo bem tradicional. Todas as culturas usam o caldo de osso. Nenhuma cultura antiga jogaria os ossos fora. Eles colocavam na água e ferviam. Todas as culturas usam os ossos. Eu acho que existam muitos benefícios nesses caldos de ossos. Aquele caldo feito com bastante fervura. Você tem cálcio, fósforo, magnésio, gelatina. Muitas pessoas acham que é bom para prevenir artrite. Existem muitos benefícios. Você também pode colocar sódio nele. Sódio é sal. Com alguma frequência as pessoas ficam um pouco tontas durante jejuns longos. Se você está somente bebendo água e café, você não ingere sal. Então, você pode ficar com níveis baixos de sal. Sair de uma dieta alta em sal (que é típica nos Estados Unidos e Canadá) e ir para uma com zero sal, pode causar dores de cabeça e outros problemas. Se você fizer o caldo de ossos, você pode adicionar o sal. Isso tornaria os sintomas um pouco melhores. Então, torna tudo mais fácil. Se você está tendo bons resultados com isso, continue. Mas se você não tiver resultados, é melhor tentar os jejuns mais clássicos. Existem vários e você pode escolher qual gostar mais. Não existem regras. A única regra é: se você está tendo bons resultados, continue. Se você não estiver tendo bons resultados, talvez mude um pouco as restrições. Talvez você possa tirar a nata, o bulletproof coffee, o caldo de ossos. Mas a maioria das pessoas se dão bem. Você tem que entender o que você deve esperar. Algumas pessoas esperam perder 5 quilos em 5 dias. Isso não acontece. A parte inicial da perda de peso é água. Seu corpo vai se livrar de um pouco da água. Isso é bom, mas, quando você começar a comer, tudo isso vai voltar. Isso não significa que não tenha funcionado. A média de perda de peso é somente umas 200 gramas por dia de jejum. Só isso! Meio quilo de gordura é mais ou menos 3500 calorias. Se as pessoas comem 1800 calorias por dia, isso geralmente levaria 2 dias inteiros de jejum para perder meio quilo de gordura. É muita coisa! Se você precisa perder 35 quilos, você precisaria de 160 dias de jejum. É muito jejum para se fazer. Se você perder 6 quilos em 7 dias, está ótimo. Mas quando 3 quilos voltam, não se pode dizer que está tudo arruinado. É exatamente isso que esperamos. Você perde 3 e 2 voltam. Isso se dá porque você perde o peso inicial em água, mas quando começa a comer, esse peso volta. É exatamente assim que funciona. Esse peso adicional de água pode fazer parecer que não deu certo, mas deu. É exatamente como deve ser.

Rodrigo Polesso: O bulletproof coffee que você menciou… No Brasil se chama “Café Turbo”. Se você buscar Café Turbo no Google, vai achar o que significa bulletproof coffee. Dr. Souto, acho que o senhor tem uma pergunta. Talvez seja legal falar sobre o artigo do Biggest Loser. Todos estão falando sobre isso. O artigo fala sobre uma das maiores objeções para o jejum intermitente, que é a lentidão do metabolismo. Todo mundo está dizendo que o metabolismo vai ficar mais devagar. Você poderia fazer a pergunta?

Dr. Souto: O Dr. Fung escreveu um excelente artigo sobre esse problema. O New York Times escreveu um artigo sobre o que aconteceu com os competidores do Biggest Loser 6 anos depois. Basicamente, todos eles ganharam o peso de volta. E o metabolismo deles estava bem baixo. O que eles fizeram foi uma severa restrição calórica crônica. Isso é diferente do que fazer jejum intermitente. Muitas pessoas na literatura dizem que “jejum intermitente funciona, porque você está restringindo as calorias”. Então, Dr. Fung, poderia explicar qual é a diferença entre jejum intermitente e restrição crônica de calorias? Não é a mesma coisa, é?

Dr. Jason Fung: Não, com certeza. Elas são coisas bem diferentes. A razão pela qual as pessoas acham que o jejum causa uma lentidão no metabolismo… vou voltar um pouco. O que acontece quando você tenta reduzir as suas calorias? Você normalmente come 2000 calorias por dia e você baixa para 1000. O Biggest Loser desceu para 1200. O metabolismo deles começou a ficar mais lento. Eles começaram a perder peso, como antes queimavam 3000 calorias e passaram a queimar menos. Esse foi o problema. O número de calorias que você queima normalmente baixa quando seu peso baixa. Simplesmente porque tem menos estoque. Mesmo levando isso em conta, o metabolismo deles ficou mais lento. Algumas pessoas dizem que isso aconteceu porque estão mais magros. Mas isso foi levado em consideração. O metabolismo mesmo assim ficou mais lento. Algumas pessoas acham que se você baixar seu metabolismo com restrição de calorias, e chega a 1000 calorias por dia, ele simplesmente vai ficar mais lento. Isso não acontece. O corpo quer queimar. Vamos usar um exemplo de 2000 calorias. O corpo quer queimar 2000 calorias. É isso que ele precisa fazer para mandar energia para o cérebro, rins, fígado. Se você baixar para 1500 ou 1200, e seu corpo quer queimar 2000, mas seu nível de insulina estão muito altos, da onde seu corpo vai tirar energia? A insulina bloqueia a lipólise. Esse é o trabalho normal da insulina. Quando você come, a insulina aumenta e transporta a energia pelo corpo. Você armazena gordura. Esse é o trabalho normal. Ela evita que a gordura seja queimada. Você não vai querer armazenar energia e queimá-la ao mesmo tempo. Então, a insulina bloqueia a queima de gordura. Esse é o trabalho normal. Se você só reduzir as calorias, você não terá feito nada sobre os níveis altos de insulina. Você tem um alta resistência à insulina e nunca fez jejum. Isso vai bloquear a lipólise, e você não conseguirá queimar a gordura. Então, o corpo vai tirar 2000 calorias da onde? Ele não consegue! Ele tem 1200 calorias vindas da sua boca, e sua queima de gordura está bloqueada. Então, ele só consegue queimar 1200. Portanto, seu metabolismo vai ser reduzido. É isso que acontece. Com o tempo, não melhora. Através do jejum, você força os níveis de insulina para baixo. É a maneira mais poderosa de forças seus níveis de insulina. Se você baixar os níveis de insulina, a energia da gordura se torna disponível para que seu corpo a queime. Antes, quando você tinha as calorias restringidas mas não fazia nada sobre a insulina, não tinha como chegar até a energia da gordura. Quando nenhuma comida está entrando, você estará forçando seu corpo a queimar a gordura. Depois que você consegue chegar na gordura, você terá muita energia. “Tem muita energia. Eu quero 2000 calorias. Existem 20.000.000 calorias nas reservas de gordura. Então, vou pegar 2000 delas.” Então, o corpo vai lá e as queima. Se você analisar os estudos sobre jejum, verá que é isso que acontece. Se você fizer restrição de calorias… Se você voltar ao Dr. Ancel Keys e o Minnesota Starvation Studies, eles comiam cerca de 1400 calorias por dia. Isso é mais do que o pessoal do Biggest Loser. O metabolismo deles caiu em 30%. Sabemos disso por 50 anos. Se você simplesmente restringir as calorias, você entrará no “modo fome”. Mas se você chegar a 0 calorias, seu metabolismo não ficará mais devagar. Quatro dias de jejum, por exemplo. No final de quatro dias, a taxa metabólica basal estará 10% maior. Se você fizer 22 dias de jejum alternado, a taxa metabólica ficará igual. Então, isso é exatamente o que não acontece quando você faz jejum intermitente. Você não pode pensar sobre as calorias. Calorias são irrelevantes aqui. Os hormônios que importam. O corpo responde aos hormônios. Ele não responde às calorias. O que importa é o que acontece com os hormônios. Se você está fazendo jejum, está baixando sua insulina. Você estará abrindo suas reservas de gordura para que sejam usadas como energia. Isso é visível. Quando você faz 2 ou 3 dias de jejum, a oxidação de carboidratos cai até quase zero e a oxidação de gordura aumenta. Os ácidos gordurosos no sangue aumentam. Essas são coisas normais. Você está forçando seu corpo a queimar gordura. Quando o corpo percebe que tem um monte de gordura lá, o corpo vai querer queimar 2000. Ele não terá um motivo para descer até 1200. Essa é a ideia. É interessante que o artigo do New York Times mostrou que o metabolismo ficou bem mais lento. Se você analisar com cuidado, teve um paciente que fez cirurgia bariátrica. Cirurgia bariátrica é como fazer jejum. Você basicamente corta uma parte do estômago para que não consiga comer mais. Se você analisar o metabolismo dele, estará bem baixo. Ele está queimando 800 calorias por dia. Depois de fazer a cirurgia bariátrica, ele começou a reparar o metabolismo dele. Eu acho isso fascinante. Mostra que quando você restringe as calorias a zero, algo completamente diferente acontece. Você começa a usar a energia da gordura. Esse é o problema essencial da obesidade. Não é um problema de calorias demais ou de menos. O problema é que essas calorias estão indo para onde você não quer que ela vá, que é ser transformada em gordura. Então, você tem que resolver o problema. Como você usará essa energia de gordura? Todos nós queremos queimar essa gordura para ter energia. Perderemos peso e nos sentiremos melhor. O segredo é abrir essa porta. Se você nunca usar gordura como energia, durante sua vida toda, seu corpo como chegar até ela. Ela talvez nunca tenha sido usada nos seus 50 anos de idade. Você tem que abrir essa porta, para que o corpo comece a queimar gordura. Ele perceberá que tem muita energia e começará a queimar energia. Assim que você conserta isso. Vou falar sobre isso na semana que vem. Como reparar seu metabolismo. Isso é algo que logicamente segue o que diz o artigo do New York Times, mostrando porque o metabolismo está estragado. O motivo por estar estragado é muito simples. Mas para repará-lo, você precisa fazer o oposto do que está pensando. Você precisa restringir as calorias até chegarem a zero. Não para sempre, é claro. Ninguém conseguiria viver assim.

Rodrigo Polesso: É interessante saber a diferença entre restrição calórica e jejum completo. Um pouco de energia por dia é pior do que ficar sem energia, nesse caso. Uma das coisas que as pessoas discutem é que o jejum aumenta a concentração e energia durante o dia. Eu não acho que isso aconteça com a restrição calórica. O oposto acontecerá. Você se sentirá cansado e com baixa energia. Você vê isso nos seus pacientes?

Dr. Jason Fung: Com certeza. Vemos isso o tempo todo. Sempre vemos pessoas que tentam comer 1500 calorias por dia… Elas mal conseguem andar até a porta. Na outra consulta, elas já estão correndo até a porta. Elas têm muita energia. Vemos isso o tempo todo. Você conseguirá liberar os estoques de energia. Quando você diz que está com fome de algo… fome de poder… fome de uma promoção… Isso significa que você não tem energia para fazer essas coisas? Não, significa que você está pronto para encarar algo. Pense em quando você come a ceia de Natal. Você come tudo o que consegue comer. Depois de comer, está completamente estufado. Você sente vontade de sair correndo? Não você sente vontade de deitar no sofá e ver TV, já que não tem mais energia para nada. Então, não é verdade que comer te dará energia. Fazendo jejum, você abre as portas dessas reservas de energia e isso sim energiza muitas pessoas. Elas ficam com tanta energia que não sabem o que fazer. Elas eram tão cansadas antes. Elas eram cansadas porque haviam isolado toda energia de gordura. Como elas não estão comendo, o corpo começa a lidar com a quantidade menor de comida que está entrando. Então, você não recebe energia da comida, e não recebe energia das reservas de gordura, e isso faz você se sentir terrível. É isso que acontece no Biggest Loser e com os programas de “contar calorias”. As pessoas estão entrando nesses programas hoje em dia. É terrível – o pior dos dois mundos. É uma pena. O Biggest Loser é o conselho de dieta padrão, mas elevado a um nível ainda maior. É óbvio que não vai dar certo. Então porque continuar aconselhando as pessoas a contar as calorias? Esse tipo de conselho tem uma taxa de fracasso de 99%. Mesmo elevando essa filosofia de “coma menos, mexa-se mais” para um novo nível, você tem um fracasso total. O Biggest Loser… todos aqueles pacientes estão engordando. Eles têm uma taxa de 93% de fracasso. Na literatura, a taxa é de 99%.

Dr. Souto: E aí você culpa os pacientes.

Dr. Jason Fung: Exatamente. É a parte mais injusta nisso tudo. Já sabemos, desde o começo, que o conselho que estamos dando tem uma taxa de fracasso de 95%. Mas você falha, dizemos que falta “força de vontade” nos pacientes. Você culpa o paciente, mas o conselho era ruim desde o começo. O médico não quer se culpar. Mas o conselho foi terrível. Ninguém quer culpar o conselho. É mais fácil culpar a pessoa. Se sua taxa de sucesso é baixa, como você poderia culpar o paciente por ter fracassado? O fracasso é quase garantido. É muito injusto. E daí nós dizemos para que eles não usem estratégias que têm funcionado por milhares de anos. Isso não faz nenhum sentido. Mas a nutrição é uma zona sem lógica.

Dr. Souto: Uma zona livre de evidências.

Rodrigo Polesso: Acho que o nome “Biggest Loser” é um bom nome quando interpretado literalmente. As pessoas estão realmente perdendo quando fazem isso. É realmente uma estratégia horrível.

Dr. Souto: Sem querer fazer trocadilhos.

Rodrigo Polesso: Sim, sem querer fazer trocadilhos. Estamos na última parte do podcast. Acho que podemos falar sobre o último assunto antes de finalizar. Esse assunto é outra objeção que as pessoas têm sobre jejum intermitente. Eu sei que não faz sentido. Perder massa muscular enquanto se faz jejum. O que você fala para as pessoas sobre isso?

Dr. Jason Fung: Se você analisar logicamente, o corpo armazena energia como açúcar e gordura. Você acha que o corpo seria tão estúpido quando fosse queimar energia que queimaria músculos e deixaria a gordura para trás? Ninguém seria tão besta. Você não criaria um sistema no qual se armazena energia como gordura mas queima músculos. Se você analisar os estudos, verá que a oxidação de carboidratos baixa, oxidação de gordura aumenta e a oxidação de proteína baixa levemente. Então, é uma alteração normal na proteína. Você vai ter que comer proteína em algum momento. Você não poderá ficar fazendo jejum para sempre. Mas isso não aumenta bruscamente a queima de proteínas. Não é isso que acontece. Tem uma alteração normal nos ossos e músculos. Se você analisar as perdas por urina, a proteína baixa. Existem estudos que mostram que você queima alguns amino ácidos quando começa a fazer jejum. Não sei se isso é uma coisa ruim. A maioria de nós consome mais proteína do que o necessário. Então, a primeira coisa que fazemos é nos livrar do excesso de carboidratos e amino ácidos. Não sei se isso é uma coisa ruim. Afinal, você não está queimando músculos. Além disso, músculos não é a mesma coisa do que proteína. Existe autofagia, mas tem muita proteína para se livrar. É muito interessante. Existe uma coisa chamada de “mammalian target of rapamycin” (MTOR). As pessoas têm falado muito sobre isso. O MTOR é um caminho que é sensível aos nutrientes. O nutriente que é o mais importante para o MTOR é a proteína. A restrição de proteína pode ativá-lo. E muitas pessoas acham que isso pode ser benéfico. Dr. Ron Rosedale falou sobre isso no Low Carb Vail. Ele mostra que a restrição de proteína pode ser importante também, por causa desse MTOR. E o jejum faz a mesma coisa. Não sei se essa proteína em excesso é boa para você. Então, você tem uma pequena queda nos amino ácidos, mas não sei se isso é uma coisa ruim. Você estaria somente se livrando dos amino ácidos em excesso. Todas essas coisas em excesso tem que ir embora. Se você perder peso, seus tecidos conectivos têm que diminuir. Não dá para perder somente gordura. Em algum momento você perderá o tecido conectivo que segura a gordura… a pele e tudo mais. Tudo isso tem que ir embora! Então, é melhor queimar a proteína. É para isso que serve a autofagia. Alguns estudos sobre autofagia mostraram que podemos ter uma boa quantia de síntese de proteína, mas que isso não é uma coisa ruim. Você não vai começar a queimar músculos até chegar em 4% de gordura corporal, o que é muito baixo. Se as pessoas queimassem músculo e armazenassem gordura, esse ciclo levaria a 100% de gordura. Pois toda vez que você armazenasse gordura você estaria queimando músculo. Então como que povos nativos que passaram por grandes períodos de fome… ou leões que passam 7 dias sem comer… como eles não se tornam uma bola de gordura? Isso é ridículo. Queimar um pouco de excesso de proteína na nossa dieta não é o mesmo do que queimar músculos. Todo mundo se preocupa com isso. Existe muita confusão sobre o DEXA Scan também. O DEXA Scan é feito para medir gordura, mas não sei se ele mede isso mesmo. Se você tem um fígado gorduroso… o fígado seria considerado tecido magro. Então, se o fígado encolher, isso seria considerado perda de gordura ou perda de massa magra? Não sei se esse equipamento é sensível o suficiente para diferenciar isso. Isso é determinado por frações de porcentagem. Apesar desses DEXA Scans não serem muito precisos… Concentre no que é importante… Se você faz jejum, você se sente mais fraco? Na verdade, não. Se você continuar fazendo isso, você se sente mais fraco? Terá um infarto por causa do jejum? Não estou falando das pessoas que tem um IMC 15 – nesse caso, sim, você pode morrer. Mas se você tem um IMC 35, 40… você não precisa se preocupar. A outra coisa é deficiência de nutrientes. As pessoas dizem “Você vai ficar desnutrido”. Eis o ponto: se você tem um IMC 40 e diabetes do tipo 2, você tem uma doença séria. Você precisa trata-la e o jejum vai te ajudar. Existem coisas para se fazer e mitigar o risco de desnutrição. Você está preocupado com desnutrição? Escorbuto? Só pode estar brincando comigo. Cuide das doenças que você realmente tem. Se você está preocupado com deficiência de nutrientes, tome um multivitamínico. Você não precisa tomar, mas pode, se quiser. É meio ridículo. Da onde vem essa preocupação de deficiência de nutrientes? Se for por causa das vitaminas, tome vitaminas. É fácil de se resolver. Existiu um cara nos anos 70 que fez jejum por 382 dias, tomando somente multivitamínico. 382 dias e as pessoas estão preocupadas com 15 horas. É uma maluquice. Se for por mais de um mês, aí sim eu me preocuparia com deficiência de nutrientes. Mas o jejum alternado… tipo comer um dia e não comer no outro… nos dias que você comer, pode comer comidas densas em nutrientes, saladas, vegetais verdes… você receberá vitaminas suficientes. Não há problema.

Rodrigo Polesso: Dr. Souto, você tem uma pergunta?

Dr. Souto: Gostaria de enfatizar o que o Dr. Fung disse. Quando você mede a composição corporal, isso não é tão preciso quanto as pessoas acham. Por exemplo, se você está perdendo peso durante uma dieta low-carb, ou jejum intermitente, você perde glicogênio e água. Esses elementos virão dos seus músculos. Então, isso será mostrado como massa magra pelo aparelho, o que não é verdade, correto?

Dr. Jason Fung: Esse foi o problema com o experimento do Jimmy Moore. Foi interessante porque ele perdeu 9 quilos, mas 4,5 quilos de músculo. O médico dele disse “você perdeu 4,5 quilos de músculo, isso é terrível.” Todos ficaram malucos. Eles classificaram de onde o músculo foi perdido. Veio tudo do abdômen. Tudo isso daqueles grandes músculos abdominais?! Depois que ele voltou à dieta regular, ele ganhou um pouco do peso… e ganhou 3 quilos de músculo. Sem exercício, comer causou um ganho de 3 quilos de músculo. Você tem certeza disso? É a perda de água que vem dos músculos. Eles contam isso como perda muscular. Não é perda muscular. É o peso daquele músculo, por causa da água que veio dele.

Dr. Souto: Perdi as contas de quantas vezes alguém vem ao meu blog e diz: “Perdi 1 quilo de músculo”. Como se pudessem medir isso.

Dr. Jason Fung: Tenho minhas dúvidas em relação à precisão disso. Se você está preocupado com a massa muscular, exercite-se. Dieta e exercício são coisas completamente diferentes. Dieta destrói a gordura… exercício tonifica e constrói músculos. Então, se você está preocupado com músculos, exercite-se. Se você está preocupado com gordura, não se exercite e trabalhe com sua dieta. O principal é trabalhar na dieta.

Rodrigo Polesso: Além disso, nós vemos estudos que mostram que o hormônio do crescimento pode aumentar enquanto você faz jejum.

Dr. Jason Fung: Sim. Bastante, na verdade. Esse é um dos mecanismos. O hormônio do crescimento é um hormônios contra regulador. O sistema simpático é ativado. Quando as pessoas fazem jejum, elas estão se ativando, na verdade. Mais adrenalina, sistema simpático ativado, hormônio do crescimento, cortisol… tudo é ativado quando você faz jejum. É por isso que algumas pessoas se sentem energizadas. Cortisol elevado… isso é algo ruim? Pode ser em alguns casos. Algumas pessoas dizem que a frequência cardíaca aumenta quando fazem jejum. Pode acontecer. Às vezes vai até rápido demais… daí você teria que diminuir. Mas essas coisas devem acontecer. Como sua glucose cai, você ativa esses sistemas hormonais para manter a glucose alta e ativar seu corpo.

Rodrigo Polesso: Acho que chegamos ao final. Espero que esse conhecimento surpreenda as pessoas. É estranho porque é contraditório. As pessoas tendem a ser céticas em relação a isso. Mas todos devem ser céticos com tudo em se tratando de saúde. Todos estão convidados a fazerem suas próprias pesquisas e ler o livro do Dr. Fung, “The Obesity Code”. Leia também o blog do Dr. Souto. Todos devem ser céticos. Mas devemos prestar atenção aos fatos e não às falsas verdades que estão espalhadas no mundo todo. Com isso, eu gostaria de te agradecer muito, Jason e Dr. Souto. Eu acho que tivemos uma conversa muito produtiva. Espero que as pessoas aprendam muito. Se você está ouvindo e precisa emagrecer de fato com um programa estruturado, sugerimos o Código Emagrecer de Vez. É um programa de 3 fases que aplica, inclusive, o jejum intermitente. Para isso, vá até o CodigoEmagrecerDeVez.com.br. Se você quer ser um Membro VIP da Tribo Forte, vá até TriboForte.com.br. Se junte a esse time e tenha direito a vários bônus especiais a cada episódio. Tchau, um grande abraço para todo mundo e nos vemos no próximo episódio. Agradeço vocês novamente. Foi uma ótima conversa. Me diverti bastante. Espero que nos falemos no futuro.

Dr. Souto: Sim, muito obrigado, Dr. Fung.

Dr. Jason Fung: Ok, obrigado.

Rodrigo Polesso: Obrigado.

Tribo Forte - Se Torne Membro copy

Transcrição Completa Em Inglês

Dr. Jason Fung: Thanks for having me. This is great.

Rodrigo Polesso: Good afternoon, Dr. Souto. How is it going?

Dr. Souto: Fantastic.

Rodrigo Polesso: Fantastic. This is a great moment for Brazilian health. I hope we can share a lot of good knowledge and improve a lot of people’s lives. So, to hit the ground running, I would like to address the basics of intermittent fasting and then we are gonna move into more advanced topics as we go along. We know that intermittent fasting is a very old practice. Even today is something that billions of people all over the world do every year (mainly for religious porpoise). If you are listening to this and never hear of intermittent fasting before, this practice basically consists in not eating for a limited amount of time – 12 hours, 16 hours, 18 hours, 24 hours, 36 hours or even more. People today are very skeptic about not eating for a while. They are afraid of not getting food every couple of hours because of all of this constant eating craze created by the modern world and wrong advice that they are getting. To get this out of the way right at the begging here, let’s start with this: Dr. Fung is intermittent fasting a healthy practice?

Dr. Jason Fung: Absolutely. What you have to understand about fasting is that it’s really just the flip side of eating. Anytime you’re not eating, you’re fasting. That’s technically all we’re talking about, right? If you think about it, you have to have a balance. Like everything in life, you have to balance eating and fasting. Sometimes you should be eating but sometimes you should be fasting. What we got wrong in the modern world is that we think we should be eating at the minute we get up in the morning until the moment that you to bed. The only time we’re not putting food in our mouths is when we’re sleeping. That’s not really a practice that’s even been part of humanity. It’s not like we spend every moment trying to eat. There’s lot of stuff to do, right? Whether it’s doing your job, or whatever it is… There’s lot of stuff to do. So, we’ve always, in the past, kind of eaten in the morning… breakfast, lunch and dinner. That’s very traditional in North America anyway. So you eat at 7 in the morning and you finish eating at 7 at night – that’s like 12 hour of eating and 12 hours of fasting. So that’s pretty balanced. If you eat constantly throughout the day, instead of breakfast, lunch and dinner… If look at the United States – because data is easily available there – in 1977 had average meals per day as 3 (breakfast, lunch, dinner). When I grew up in the 70s, if you tried to snack, your mom would say “no, you shouldn’t snack”, “you’re ruining your dinner”, “it’s not dinner time, so don’t eat.” That’s just the way it was. We all lived like that. Now, if you go to 2005, the average number of meals a day is actually 6 in the United States. We have doubled the number of times we’re eating throughout the day. So, if you’re eating all the time, it’s only logical that you’re gonna gain weight. For some reason, we think that it’s gonna make us lose weight. Eating more frequently is gonna make you lose weight? How’s that supposed to work? Doesn’t even make any sense. That’s the whole problem. What you need to do is that you need to give your body a chance to digest and to burn off some of the food energy that you’ve put in your mouth. That’s a normal process. You eat from 10 to 12 hours of the day and you fast from 12 to 14 hours of the day. Everything is balanced and people do very well. That’s the whole idea. If you want to lose weight, you can lengthen that period where you’re fasting. What’s gonna happen when you fast? Well, your body gonna simply burn off some of the food energy that you’ve put in your mouth. That’s all that’s gonna happen. It’s not like you’re gonna die. People say “you’re fasting for 24 hours?!” What about all the times that people get busy and you wind up working and skip lunch because you’re too busy? You’ve gone 24 hours, you haven’t eaten, and nobody died! We’ve all done it. In fact, half of the time that you’re that busy, you don’t even notice it. So what’s actually happening in the body? Well, your body is just burning off some of the stored food energy (sugar and fat). If you burn through all that sugar, you’re gonna burn some of the fat too. That’s all! That’s all that happens. And it’s okay. We get this idea that “you’re gonna kill yourself”, “you’re gonna ruin your metabolism”. But this is the way we are designed. If we weren’t designed this way, we would not all be sitting here because when we were cavemen, there were days during the winter that there were no food and you just didn’t eat. That’s it! And your body lived off your stored food. That’s what fat is – stored food energy. It’s there for you to use when you don’t have food. So if you never not have food, you’re never gonna burn that fat. Why would your body burn fat? Your body is smart. It’s stored away, so when you don’t have anything to eat, you have something to live off of. But you always have something in your mouth, from the minute you get up to the minute you go to bed. So it says “ok, fine, I won’t burn the fat, then.” We talk all the time about the food that we should and shouldn’t eat. Should you eat wheat, bread, carbs, fat? We talk about that all the time. And for the most part, there are a few differences. We agree that sugar is not very good for you, white bread is not very good for you. Most people agree that a lot of these fats are not that bad for you… there is some debate about saturated fats, but avocado, olive oil, nuts, everybody kind of agrees on that. But nobody talks about this whole question of when to eat. Because it’s ok not to eat sometimes. That’s the whole idea. In English we have the word “breakfast”. Think about that word. It’s a meal that breaks your fast. It implies two things. One: we have to be fasting everyday – whether it’s for 12, 14, 16 or 24 hours. You have to fast every day. You can’t break your fast if you’re not fasting. The problem now is that we’re never fasting. We’re eating all the time and then you eat breakfast, but you never fasted. You do not have to eat as soon as you get up. You can break your fast at noon. You can break your fast at dinner. It doesn’t really matter. It’s important that it is the meal that breaks your fast, but it doesn’t have to be the 8 AM meal. If you look at circadian rhythms of hunger, for example, you’ll see that hunger is lowest at 8 AM and highest at 8 PM. So, if you’re not hungry, then you are force feeding yourself with a slice of bread with jam and orange juice. That’s not a winning strategy for weight loss. You’re not hungry but you’re gonna shove some food in your mouth anyway. That’s not a really great strategy for weight loss. You’re better off skipping breakfast. You can have coffee with a little bit of cream and go straight to 12 o’clock or 11 o’clock. The French word for breakfast is petit déjeuner, which means “a little lunch”. So, the French understood that most people are not that hungry in the morning, so don’t eat! That’s your body telling you that you don’t need to eat. Everybody says “I’m not gonna have energy.” That’s nonsense. Your blood sugar is completely normal. In fact, what happens just before you wake up is that your body produces these counter regulatory hormones. These are hormones like cortisol, epinephrine and growth hormone. And they actually pump out a little of glucose into our system. They take the stored sugar that you have from yesterday’s lunch and put sugar into your system. So your body has already gased you up for the day – it’s fueled you up already. You don’t have to put food in your mouth to do that. If you don’t eat – it’s okay one in a while. All you’re gonna do is lose weight. That’s the whole idea. If you understand that you can look at your intermittent fasting at say “here is a very powerful strategy that nobody is using.” Why? We need all the tools is our tool belt to fight this problem of obesity. Because it is really hard. Obesity and type-2 diabetes are very hard. We need all the tools. You can’t just throw out the most powerful tool in your tool belt. It’s ridiculous to do that and to make up all these reasons why we have to put food in our mouth even tough we’re not hungry. “We have to eat every 2 and a half hours.” I’m busy! I don’t wanna go looking for something every 2 and a half hours. Half of the time I don’t eat lunch because I’m busy and I don’t want to step away. It’s okay – that’s the whole idea. Some of these modern things that have lead to obesity epidemic are not based on any kind of evidence, historical reality. It’s not like “we have always eaten every 2 and a half hours for the last 2000 years of humans history.” No! That’s exactly what we have not done. We have always just eaten when we are hungry or even it’s convenient. Some times once a day and sometimes 3 times a day. But not 6 times a day.

Rodrigo Polesso: It seems pretty obvious when we talk about it. Just eat when you’re hungry. Just don’t eat if you’re busy. Everyone has taught us to eat as soon as we roll out of bed and keep doing it the whole day. We heard that so much and we believe that’s the truth! And now people are afraid of skipping one snack because they might feel tired or gonna be sick. So, this was a great introduction to the subject. Besides the weight loss benefits to intermittent fasting, I would like you to mention a few general health benefits of the practice itself.

Dr. Jason Fung: There’s actually a lot of benefits to fasting that we don’t even realize. The most obvious is weight loss. Obviously, if you don’t eat, your weight will come down. The other one is for type-2 diabetics. You have to be careful if you’re taking medications, but on the other hand, if you don’t eat, your blood sugar will come down. No one can argue that that’s gonna happen. So, if your blood sugar comes down, you don’t need to take medication. On top of that, there is actually a host of other benefits. What happens specially during the longer fast, is that you get a growth hormone increase. Most people, as they age, their growth hormone drops. If you have no growth hormone, and you replace it, you get better bone density, better muscle growth. In fact, it may have anti-ageing properties. We don’t use growth hormone for normal people, because there is a risk. If you give just exogenous growth hormones you can have problems with cardiomyopathy. But if you naturally boost the growth hormones, specially as you get older, when your levels start to drop, you may be able to prevent some of these problems including osteoporosis and sarcopenia (which is the loss of muscles of you get older). There is also a process called autophagy which is stimulated by both protein restriction as well as fasting. Fasting reducing everything. Autophagy is very interesting. A lot of people are locking into this sort of process. It is a process of cleaning out this subcellular debris. These cellular parts that kind of old and broken down. Your body gets rid of them. And that’s a good thing, because they are old and need to be replaced. It’s like when you’re trying to replace stuff to build new stuff. When you renovate your house, you can’t just build something new. You gotta take out what’s existing and old. You can’t build new cabinets on old cabinets. You have to take out the old cabinets and build new ones. That is exactly what fasting does. Autophagy is a process where you get rid of these old subcellular parts and then the growth hormone helps you lay down new parts. In essence, you are trying to renew yourself. There’s a lot of interesting work going on specially for Alzheimer’s disease. If you look at it pathologically, Alzheimer’s disease has these neural tangles. There’s all this junk in the brain that you can see when you do pathological sections. Some people believe that one of the things that might be very beneficial for the prevention of Alzheimer’s disease is to have periods of fasting. So what you are doing is that you are telling you body to get rid of all this old junk. It cleans it out. By cleaning it out, you can prevent the development of Alzheimer’s disease. There’s some data that suggests that this might be true. That’s very exciting as well. The other thing is cancer. Cancer is a very big problem everywhere. One of the things contributes to it is probably elevated insulin levels. Insulin is a growth factor. And if you have growth factors when you are a kid, it’s great, because you are growing. But when you are older, anything that stimulates growth (like insulin) is not really all that good for you because the cells that typically grows faster are cancerous cells. By lowering insulin, you may help reduce that cancer. Other thing people talk about is the so called Warburg effect. If you lower your blood glucose quite a bit… Cancer cells have to metabolize glucose, they can’t use fatty acids and ketones. So what you do in essence is you starve these cancer cells of glucose and you chew them off before they before a problem. Some people recommend a week-long fast every year. That would be very interesting. That would kill all your cancer cells once a year. You would clean yourself, prevent cancer, Alzheimer’s disease, get your weight down. What’s interesting in that this sort of ideas are extremely old. People used to call these cleanses, detoxes, purifications. If you look in religion, you’ll see that during Ramadan there is a month of fasting… You can fast for 40 days and 40 nights… These ideas are not new. Once a year you should give yourself a good cleaning out with 5 days, 7 days, a month. Whatever it is. These ideas have been around for a long time. Which gives you a reassurance that if there were any problems, people would have figured out these problems a long time ago. But it turns out there weren’t a lot of problems. Look at the instances of all these diseases: cancer, Alzheimer’s, heart disease, diabetes, obesity… All of them are amenable to dietary interventions. This is the 21st century play. We don’t have a lot of problems these days with infections. People talk about the zika virus or whatever virus. It’s just not a big deal in our modern western medicine. What we struggle with is cancer, heart disease, Alzheimer’s disease, diabetes and obesity. All these big diseases you can prevent yourself from having by doing these simple things that people have always done.

Rodrigo Polesso: It’s a very big claim. It’s so powerful. And by doing the opposite, by staying in that anabolic most of the time during the day, we prevent all these good things from happening. We prevent the clean-up of our bodies, we prevent everything! We feed the cancer cells. We do the complete opposite of it by following this craze of constant eating. It’s only good for one thing: for the industry. That’s really sad. Imagine that someone is overweight, maybe a type-2 diabetic. That person need to lose weight. So, the question is… To prevent people from starting doing the wrong things… who should fast and who should not fast? And I think Dr. Souto has a more specific question about the same subject.

Dr. Souto: Actually, I have a blog and people frequently ask if fasting is ok for women. There are some bloggers in the paleo blogosphere that claim that fasting would be ok for men but would be problematic for women and bad for their thyroid function. What do you think based on your practice and or the literature… is it true that fasting may not be good for women?

Dr. Jason Fung: That’s actually not true at all. I know the blog post you’re talking about. It’s somewhat laughable that somebody think they could a couple of studies on rats and say “I read three studies on rats, so I’m an expert. I’m gonna tell you that fasting doesn’t work for women.” Let’s go back. Since the time of Jesus Christ, 2000 years ago, men and women have fasted. There are people who shouldn’t fast. Children, they have not been part of the fasting tradition. They are growing, so you don’t want to stop them. Long fast, over 24 hours, definitely not. If a kid wants to skip breakfast, sure, go ahead. But don’t skip the whole day week after week. You’re growing, you need that food. People who are underweight. If your BMI shows you’re underweight, you probably shouldn’t fast, because your body weight is lower that it should be. One of the things is that you’re gonna lose weight. So, yes, those people shouldn’t fast. Pregnancy, same thing. Fetal development is very critical. It could cause irreversible damage. Breastfeeding sustained. Don’t do it. There’s lots of times to do it. The other time is when you’re on medication. You can fast, but you need to get medical supervision. Those are the times you really should not fast. It’s very limited. There’s really very few times and very few people that should not fast. Now, getting to the specific point of women, the reason that some people get concerned is that if your body fat falls too low, you can lose your menstrual cycle. You can go amenorrheac which means that you lose your period. Excuse me. That’s not the case here. If you’re underweight, you should not fast. If you’re overweight and you wanna lose weight, there is no problem with fasting. You can absolutely fast. There is no problem. The same goes with the thyroid. I’m not really sure where all that came from. But it really has nothing to do with the thyroid. When you fast, your body burns glucose and burns fat. It has nothing to do with thyroid function, it has nothing to do with Hashimoto’s disease (which is an autoimmune disease). It has nothing to do with iodine. It really has nothing to do with thyroid. If you think about women, they have never been exempted from fasting, except for those conditions: pregnancy and breastfeeding. If you look at religious practices, and people used to and people who still do like buddhists and muslins – those religions that are still big on fasting – the woman are not exempted. There are literally millions of women throughout history who are fasting. And they’ve done great. So then you go back to studies that have looked at fasting and many of them, including men and women, and they do exactly the same. We probably have 56% of women in our clinic. We’ve put probably over a thousand people on various fasts and they do about the same. Some people say “it doesn’t work for women” or “they have a lot of problems”. Well, men have a lot of problems too. It’s not all fun and games when you fast. So, yes, women have problems, men have problems, exactly the same problems. Sometimes women don’t lose weight, but sometimes men don’t lose weight either. When you actually get some experience, taking women and men, you see that they actually perform exactly the same. So there is no reason why women should not fast. You are just throwing out your most powerful tool. You’re eating all the time and wondering why you can’t lose weight. If you are a woman, so what? What does that have to do with anything? Unfortunately, the only post that gets reposted about this says “I read those studies and now I’m an expert.” Those people don’t have any experience with people fasting. They are these general health sites and they don’t supervise people fasting. They don’t treat people like I treat people every day who are fasting. That’s part of our clinic. It’s part of what we do. And there’s no difference between man and women. It’s kind of ridiculous. It’s kind of like saying “I read two books about basketball, I ready to play in the NBA.” Not! It’s the same thing. “I read three studies about fasting and now I’m an expert!” Well, get lots of experience, read all the studies, then you can call yourself an expert. There is a recent post by this fellow Alan Aragon who also wrote something about intermittent fasting which is just laughable. “I read all the studies from the last 10 years and now I’m an expert”. You have zero experience with actual people. Until you have some experience, don’t try and pretend you’re an expert anymore than I think I’m ready to go play in the NBA.

Rodrigo Polesso: Perfect.

Dr. Souto: I’m glad you said that. I agree 100%. I just wanted you to spell it out.

Dr. Jason Fung: That’s great.

Rodrigo Polesso: Now we have a double question about the same subject. When it comes to weight loss, inspired by your work, I usually tell people that there are at least 3 big causes of obesity: insulin, insulin resistance and cortisol. The 3 big ones. What are the benefits of intermittent fasting, specifically in addressing these causes and resulting in weight loss? Dr. Souto also has an additional question about the same subject.

Dr. Jason Fung: The real driver of weight gain in insulin. This goes back to the “why we gain weight” question. It’s an interesting one and I talk about it extensively in the book “The Obesity Code”. Everybody thinks it’s about calories, but it has nothing to do with calories. There is an overlap with calories, and the things that contain calories do raise insulin to some extent. It’s not to the equal extent. There are food, for example, like white bread, where you can have only a certain number of calories, but your insulin will go way up. Whereas if you eat the butter, you’ll eat the same number of calories, but your insulin won’t go up at all. So, what matters to the body is the insulin response. Insulin is what tells our body to gain weight. Insulin resistance is the same thing but on a longer-term process. If you stimulate insulin all the time, you can eventually develop insulin resistance. It’s very interesting because everybody acknowledges that insulin resistance is a major player. But then when you ask what causes insulin resistance people have every answer in the book. “It’s inflammation, oxidative stress”. These are just buzz words that really mean nothing. To me the answer is really found in the word itself. Insulin resistance is the body natural attempt to resist a high insulin. That’s what it does. If you wear headphones and put on music that it’s too loud, you go deaf, because your body is trying to resist the loud music. So the natural reaction is to turn up the music. But if you turn up the music you get a little bit more deaf, so you turn it up again. It’s a wrong approach, but that’s what our body does. It gets resistant to the insulin and produces more insulin. It goes around in a vicious cycle just like the headphones. The answer is not to give more insulin, it’s actually to give less insulin, just like the problem with the headphones. You wanna turn the sound off. That’s how you’ll restore sensitivity and break that resistance. It’s the same thing with insulin. If your body is trying to resist that high insulin level, you don’t raise the insulin level, because then you’re gonna get more resistance. What you wanna do is to drop your insulin levels very low. You see this in every case, in every biological system. If you have antibiotic resistance, your immediate reaction is to say “let’s give more antibiotics”. The antibiotic resistance develops to resist the high levels of antibiotics. So, giving more antibiotics is not gonna work. The answer is the opposite of what you think it is, which is to use very few antibiotics. This is the same here. You need to have that low insulin levels every so often to restore sensitivity. That’s what you do with fasting. You lower your insulin levels for a good long period of time (10, 15, 20 hours). If you’ve been insulin resistant already, then you need longer periods of low insulin. That’s just the way it’s gotta be. These things don’t develop in two days. They develop over decades. This is the other thing about insulin resistance that it’s important to understand. If you look at theories of obesity, for example, people think it’s all about calories or all about carbs. Well, if it’s just about the carbs, then, somebody who’s obese for 10 years is gonna have the same difficulty losing weight as somebody who’s been obese for 10 days. That’s not the same at all! Everybody knows that that person who’s been obese for 10 years has a lot harder time losing weight than the person who’s been obese for 10 days. They just don’t have problems, the weight comes right off and stays off. That’s because they haven’t been going around in this vicious cycle of high insulin leading to resistance, resistance leading to higher insulin levels, leading back to resistance. This a vicious cycle that goes on and on. If you’ve been going through that cycle for a long time, then, it’s hard to break. If you remember earlier this week about The Biggest Loser. There is a big article about this Biggest Loser people. These people have been obese for a long time. They got a lot of insulin resistance. They didn’t address that at all with intermittent fasting, so, what happened? As soon as they stopped doing all the exercise and stuff, their weight just went back up. Because their metabolism just went way down. We’ve known that that happens for at least 50 years. This is not really new. The study just shows it very well. That’s a long term problem and intermittent fasting can really help you. It can help you break that cycle of insulin resistance, lower the insulin levels – which are ultimately driving weight gain. It’s a very powerful tool. It’s one that we’ve used forever. We’ve used it for thousands of years with great success. Now we decided we don’t wanna use it and wonder why we can’t lose weight. Well, because you’re not using all the tools at your disposal.

Rodrigo Polesso: Perfect. Dr. Souto, do you have an additional question about this subject?

Dr. Souto: I think I’ll skip that one because there are better questions ahead.

Rodrigo Polesso: Alright. You said this is a strategy that we’ve been using for thousands of years and all of a sudden now it’s big news! We’re introducing intermittent fasting for most of the Brazilian population. It’s kind of funny that something so old is so new now.

Dr. Jason Fung: It’s funny, because an entire generation has grown up with the idea that we have to eat all the time. Then we are wondering why we are gaining weight. Everybody is looking for information now because there is a lost generation. When you’re doing fasting for a week or a month, you do it with your community. So your parents say “yes, we’re gonna fast for a couple of days” because it’s Eater, Ramadan… Everybody would know how to deal with it. Now nobody knows. I’m in the process of writing a book for fasting. Nobody knows how to deal with the problem because they’ve never done it. They don’t know what to expect. I always think I should make one of those… When you buy an Apple product you get a “Quick Start Guide”. The guide should be “don’t eat”. But people have so many questions about it. It’s stunning. But the advantages are tremendous. Fasting is not something you are trying to add. It’s not something you are trying to do, it’s something you’re trying to not do. Because it is the opposite of diet, there’s a huge number of advantages. For example, you can say “we should all eat grass-fed beef” – that’s good, but it’s expansive. Fasting is free! It’s not just free, it actually saves you money. You can say “you should always cook home-cooked meals all the time”. That’s great! But a lot of people don’t have the time. Fasting saves you time. It takes no time and actually gives you back time. It gives you back money. You can do it any time. You can do it this week and not at all next week. Life is like that. “This week I’m really busy, so I’m gonna get some extra time by fasting and working through lunch and not eating. I’m gonna drink some coffee or tea.” You can take that time back. Next week, maybe I don’t need to fast. I can slow down and have a couple lunches with my friends. Fine! It doesn’t matter. You can do it when you want, where you want. It doesn’t take extra time. It’s not something you are trying to add. You are not trying to make your life more complex. Our lives are complex enough. It’s a powerful way to simplify your life. There’s no shopping. There’s no cooking. There’s no prepping. There’s no cooking. There’s no eating. There’s no clean up. Nothing – you’re done. No matter what diet you follow, you can still do it. If you don’t eat gluten, fine! You can still fast. If you don’t eat meat. Is you have allergies to nuts, you can still fast. It doesn’t matter. You can put it in anywhere at any time. Because it’s not something you’re doing, it’s something you’re simplifying. It’s something we miss. Everybody wants to give you a more complicated diet. “You should count your calories and count your carbs.” “You should make sure you get 35, not 34% fat.” Who has time for any of that? What’s simpler? You need to lose a little bit of weight. Skip a couple of meals. You’ll lose weight. So, great. It works. It’s very powerful. Who’s gonna argue that it doesn’t work? You can argue that low-carb diets don’t work. You can argue that low-fat diets don’t work. But you can’t argue that fasting is not gonna work. It’s gonna work, no matter what you believe in. It’s gonna work.

Rodrigo Polesso: Perfect. Talking about not eating brings me to the subject… We talk about what we ate yesterday for lunch. So, before we talk about more advanced topics about intermittent fasting, I want to ask the three of us what we ate yesterday for lunch. To give people ideas as well. I think we can start off with Dr. Souto and we go around.

Dr. Souto: Ok. Usually I start every lunch with a big salad, with olive oil. Yesterday I ate some ground meat with onions, cabbage and carrots. That’s it. Very simple.

Rodrigo Polesso: Simple is awesome. Dr. Fung?

Dr. Jason Fung: I had basically a hamburger, but I take out the butt. I’m usually working, so I’m usually at the cafeteria in the hospital. I either have a salad. If I’m not in the mood for that I just eat the hamburger. Yesterday I had the hamburger but with the toppings on the side. It’s like the salad with the hamburger.

Rodrigo Polesso: Yeah, awesome. Yesterday I had a flex bread together with a 3-egg omelet with onions and bacon and cheese. That’s very tasty. If you spread some butter on the flexi bread, you can make it on the microwave with some cinnamon on top. That’s really good, simple, fast and nutritious. Great, I think people will take something out of it. Now we can do some quick fire questions. What we can eat or drink while fasting. That’s a big question. I’m fasting for 18 or 16 hours. Can I eat or drink anything during that fast? Is so, what can I do? What are my options? That brings me to the question of non-caloric sweeteners as well. That’s an interesting question. What can we eat or drink while we fast without breaking the fast?

Dr. Jason Fung: There’s lots of variations. The classic fast is a water only fast. There’s a lot of different variations. Dry fast is where you don’t eat or drink. I never ever recommend that. Although, there’s a lot of people who do. Because you’re not just not eating, but you’re also gonna get dehydrated. Some people claim that as you break down your fat you can actually produce water. I’m not really sure how that works. But, there are people who say that. I never recommend dry fast. So, you have to know that Ramadan (which is the Muslim tradition of fasting) is dry fast. So, you don’t eat of drink. From what people tell me, it’s a lot harder than fasting when you are allowed to drink. For the reason of compliance, that’s a religious reason, which is fine. But for health purposes, I never recommend dry fast. So then you get to classic, which is water only fast. That’s basically what it is. Only water, nothing else is allowed. That is the classic fast. But there’s a lot of variations that work very well. You can also add tea. Herbal tea, excellent. There’s no calories in those. You can also add coffee. Coffee, again, no calories. Then the question come up: “Can you add sweeteners?” Obviously honey and sugar are out. And then “can you add things like cream?” I don’t know if this is very big where you are, but this so “bulletproof coffee”. That is a variation called the “fat fast”, which is where you just eat fat. The idea is if the whole problem is high insulin (which I think it is), then your problem is to lower insulin. Butter has a lot of calories, but it doesn’t raise insulin. If you eat pure fat, like drink olive oil, the effect on insulin is very low. So you can get most of the benefits of doing a fat fast even tough you’re still taking calories. I’m not into bulletproof coffee. But I think lots of people have done really well with bulletproof coffee. Physiologically it makes sense that these people would do well, because they are getting a lot of calories, but they are not stimulating insulin. That’s how you get all the health benefits. Those are variations. I think they are reasonable. I advice people for bulletproof coffee, for example… if you want to fast by using bulletproof coffee, then do it. If you are getting results, great! Why do I care what you are doing? If you are losing weight, if you’re feeling good by doing bulletproof coffee and fasting for whatever number of hours, then do it. If you’re not getting the results, then you should cut it out and go to the more classic water only or water and herbal tea kind of fast. Same with coffee. Some people do fine with coffee. Some people add some cream. No sweeteners. Artificial sweeteners don’t have calories, but in our clinic we just say no. The thing about artificial sweeteners is that they are all artificial chemicals. They just happen to be sweet and not kill you. It doesn’t really mean it’s good for you. I actually have my doubts as to whether or not they really help. A lot of them still stimulate insulin. If you stimulate insulin, even if you have no calories, it’s a problem. If you inject someone with insulin and not give them calories, they will still gain weight. Your body will make the adjustments needed under the directions of that instance. So, absolutely no to those chemicals. The other variation that we use quite often is the bone broth. Bone broth has protein and calories. Sometimes it has a little bit of fat. We use it more for two reasons. One is for the longer fast. It helps compliance. Some people just drink it. The protein helps preventing the refeeding syndrome. I’m talking a week or more. The bone broth is very useful. But mostly for compliance. It’s a little bit more filling. It’s very traditional. Every culture uses bone both. No ancient culture threw away the bones. Put the bones in some water and boil it. Every culture uses this. I think there probably are a lot of health benefits to these bone broths. The long simmered bone broth. You got the calcium, phosphorus, magnesium, gelatin. A lot of people think it’s actually good to prevent arthritis. There are all these benefits. The other thing is that you can put sodium in it. Sodium is salt. One of the things we see quite a bit with longer fasts is that people get a little dizzy. If you’re just drinking water, tea and coffee, you are not talking any salt at all. So you can get a little bit low on salt. To go from a very high salt diet (which is typical in the United States and Canada) to zero salt, sometimes people get headaches and all kinds of problems. If you make bone broth, you can add the salt. That would make the symptoms a little bit better. So, it makes it easier. If you are getting good results with that, then, that’s fine. But if you don’t get good results, then you might try these classic fasts. There is quite a range, and you can choose what you like. There’s no rules. The only rule is: if you getting good results, keep doing it. If you are not getting good results, maybe change the restrictions a little bit. You might wanna get rid of the cream, bulletproof coffee, bone broth. But most people do well. You have to understand what to expect. Some people expect to lose 10 pounds in 5 days. It doesn’t happen. The first initial part of weight loss is water. Your body does get rid of some of the water. That is fine, but as soon as you start to eat, all of that will come back. That does not mean it doesn’t work. The average weight loss is only half pound of fat per day of fasting. That’s it! A pound of fat is roughly 3500 calories. If people are eating 1800 calories a day you generally need 2 full days of fasting to lose 1 pound of fat. That’s a lot! If you have 80 pounds to lose, that’s 160 days of fasting. That’s a lot of fasting to catch up on. If you lose 15 pounds in 7 days, that’s great. But when 7 pounds come back on, you can’t say it’s ruined. It’s not ruined at all. That’s exactly what to expect. You only did 2 days of fasting and lost 1 pound. But you were supposed to lose 1 pound. You lose 3 pounds and you gain 2 of them back. Because you lose all that initial water weight, but when you start to eat, all of that comes back. That’s exactly how it is supposed to work. That extra water weight makes you think it’s all ruined, but it’s not. It’s exactly what it was.

Rodrigo Polesso: The bulletproof coffee that you mentioned… the Brazilian version is called “Café Turbo”. If you google “Café Turbo”, you are gonna find what he means by bulletproof coffee. Dr. Souto, I think you have a question. It might be good for us to talk about the Biggest Loser article. It is such a big thing and everyone is talking about it. It addresses one of the main objections about intermittent fasting, which is metabolism slow down. Everyone is saying the metabolism is gonna slow down. Can you ask the question?

Dr. Souto: Dr. Fung has written an excellent blog post on this issue. The New York Times ran a piece on what happened with the Biggest Loser contestants 6 years after. Basically they all gained back the weight. And their metabolism was way down. What they did was severe chronic caloric restriction. And that is different from intermittent fasting. Many people in the literature will say “of course intermittent fasting works, because you are restricting calories.” So, I would like Dr. Fang to explain to our audience what the difference intermittent fasting and chronic caloric restriction. It is not the same, right?

Dr. Jason Fung: Absolutely. They are actually quite different. The reason why people think fasting causes this severe metabolic shutdown… Let me back up. What happens when you try to reduce your calories? You normally eat 2000 calories a day and you go down to about 1000. The Biggest Loser went down to about 1200. What happened is that their metabolism slowed down. As they lost weight, they went from burning 3000 calories, and drop way down. That was the whole problem. The number of calories you burn normally goes down as your weight goes down. Just because there is less bulk. Even taking that into account, their metabolism still slowed down. Some people say it’s just because they are smaller. That’s already been taken into account. The metabolism slowed down anyway. People assume that if you slow down your metabolism, with caloric restriction, when you go very low (like 100 calories a day), it’s just gonna go way down. That’s not what happens. The body wants to burn. Let’s use the example of 2000 calories. The body wants to burn 2000 calories. That’s what it wants to do to power the brain, the kidneys, the liver. If you go down to 1500 or 1200, and your body wants to burn 2000, but your insulin levels are very high, where is the body going to get that energy from? Insulin blocks lipolysis. This is the normal job of insulin. When you eat, the insulin goes up and it drives food energy into the body. You store fat. That is the normal job. But it blocks the fat from burning. You don’t wanna store energy and burn at the same time. So insulin blocks the burning of fat. That is its normal job. So, if you reduce your calories, you haven’t done anything about that high insulin levels. You have super high insulin resistance and you never did the fasting. That is going to block lipolysis, and you can’t burn fat. So where is the body gonna get 2000 calories from? It doesn’t! It has 1200 coming from the mouth and your fat burning is completely blocked. So, it can only burn 1200. So, your metabolism goes way down. That’s what happens. Over time, it doesn’t get any better. What happens over fasting is that you’re forcing your insulin levels down. It’s the most powerful way to force your insulin levels down. If you get those insulin levels down, what happens is that now all that energy from fat is available for your body to burn. Before, when you just restricted calories but didn’t do anything about the insulin, there was no way of getting to that fat energy. When you have nothing coming in, you’re forcing your body to start burning that fat. It has nothing else. It has no energy coming in at all. So you force that body to burn the fat. Once you start getting the fat moving, then there is a lot of energy. “There is a lot of energy. I want 2000 calories. There is 20.000.000 calories of energy in the fat stores. So I’ll take 2000.” So the body burns it. If you look at studies of fasting, that’s exactly what happens. Whereas, if you do caloric restriction… If you go back to Dr. Ancel Keys and the Minnesota Starvation Studies, they were eating about 1400 calories, 1500 calories a day. That’s more than these Biggest Loser people. Their metabolism dropped 30%. We’ve known for 50 years that if you simply restrict calories, then you’ll get into this starvation mode. But if you go down to 0, your metabolic rate doesn’t drop. Four full days of fasting. At the end of four days, the basal metabolic rate is actually about 10% higher. If you do 22 days of alternate daily fasting, the metabolic rate will stay the same. So, that’s exactly what doesn’t happen when you do intermittent fasting. You can’t think about calories. Calories are irrelevant here. It’s the hormones. The body responds to hormones. It doesn’t respond to calories. It’s really what’s happening with the hormones. If you’re fasting, you’re driving your insulin down. You are opening up your fat reserves to be used for energy. You see this. When you do 2 or 3 days of fasting, the carbohydrate oxidation falls to almost zero and the fat oxidation goes up. The fatty acids in the blood go up. These are all normal things. You’re forcing your body to burn fat. When the body realizes there is a lot of fat there, the body will want to burn 2000. It doesn’t have a reason to go down to 1200. That’s the whole idea. It’s really interesting that a New York Times article showed that the metabolism went way down. But if you look very closely, there is one patient that got bariatric surgery. Bariatric surgery is basically like fasting. You basically cut the stomach so that you can’t eat. If you look at his metabolism, it is way down. He is burning 800 calories a day. After he got his bariatric surgery, he started to repair his metabolism. I think it’s fascinating. It shows you that when you just keep restricting calories to zero, something entirely different happens. Now you are starting to tap into the fat energy. This is the essential problem of obesity. Not a problem of too much or too little calories, the problem is that those calories are going somewhere we don’t want it to go, which is into fat. So, you have to solve the problem. How are you gonna get to that fat energy? We all want to burn that fat for energy. We’ll lose weight and feel better. But the key is to force that open. If you never use fat for energy, during your whole life, your body doesn’t know how to get at it. It has never been used in 50 years. You have to force that open, get the body to start burning fat. Then it realizes it has a lot of energy and it starts to burn energy. That’s how you fix it. I’m actually gonna talk about it next week. How to repair your metabolism. That is something that logically follows that New York Times article of why is it broken. The reason why it’s broken is fairly simple. But to fix it you have to do the opposite of what you think. You have to keep restricting those calories right down to zero. Not forever, of course. Nobody can live like that.

Rodrigo Polesso: It’s interesting to know the difference between caloric restriction and complete fast. A little energy per day is worse than having no energy per day in this scenario. One of the things that people argue while they are fasting is increased focus and increase in energy during the day. I don’t think that happens when you go into caloric restriction. The opposite will happen. You’ll feel tired and have low energy. Do you also see these things in your patients?

Dr. Jason Fung: Absolutely. We see this in our patients all the time. We see people that try to eat 1500 calories a day… They can barely drag themselves to the door. The next time we see them they are running to the door. They have so much energy. We see this all the time. What you are doing is that you are liberating those stores of energy. Everybody thinks that during fasting you have no energy. But if you say you are hungry for something… hungry for power, hungry for a promotion… Does that mean you have no energy and you can do anything? No, it means you are pumped up and ready to go. Think when you have a Thanksgiving or a Christmas feast. You have just eaten everything you could possibly eat. You are completely stuffed. Do you feel like going out and running a marathon? No, you feel like lying on the couch and watching TV, because that’s all you have energy for. So, it’s not true that eating will give you that burst of energy. By fasting, forcing open these reserves of energy, really floods some people with energy. They have so much energy now that they don’t know what to do with it all. They were so tired before. The reason why they are tired is because they had shut away all that fat energy. And then they are not eating, so the body is shutting down to cope with the less amount of food coming in. So, you got no energy from the food, no energy from the fat stores and you feel terrible. That’s what happens on the Biggest Losers and “count your calories” sort of programs. That’s where we have people right now. It’s terrible – the worst of all worlds. It’s just unfortunate. The Biggest Loser is the standard dietary advice but just brought up to the next level. It’s obviously a huge failure. So why do we keep advising people to count a few calories? We can look at the standard advice that we give and the failure rate is 99%. Even if you bring that “eat less, move more” to a whole other level, it is a total failure. The Biggest Loser… all those patients are getting weight. It’s a 93% failure rate. In the literature, it’s like a 99% failure rate.

Dr. Souto: Then you blame the patients.

Dr. Jason Fung: That’s right. That’s what’s unfair about this. We know, going in, that is advice is gonna give you a 95% failure rate. But when you fail, “you got no will power”. You’re blaming the patient, but the advice was horrible to begin with. The doctor doesn’t wanna blame himself. The advice was just horrible. Nobody wants to blame the advice. It’s easier to blame the person. If your success rate is so low, how could you blame the patient for failing? They are almost guaranteed to fail. It’s really unfair. And then we tell them not to use strategies that have been worked for thousands of years. That doesn’t even make any sense. But nutrition is a logic-free zone.

Dr. Souto: Evidence-free zone. It’s perfect.

Rodrigo Polesso: I think the name “Biggest Loser” is a very good name when taken literally. People are really losing a lot by doing that type of thing. It’s a really terrible strategy.

Dr. Souto: No pun intended.

Rodrigo Polesso: Yeah, no pun intended. We are in the last part of the podcast. I think we can talk about the last subject before we close up. This subject is another objection that people have when it comes to intermittent fasting. I know it makes no sense at all. That is losing muscle mass when you fast. What do you tell people about that?

Dr. Jason Fung: If you look at it logically, the body stores energy as sugar and fat. Do you think that the body is so stupid that when it comes time to burn the energy it’s gonna burn muscle and leave the fat? Nobody is that stupid. You are not gonna design a system where you store energy as fat and start burning muscle. If you look at studies, you’ll see that carbohydrate oxidation goes down, fat oxidation goes up and protein oxidation slightly goes down. So there’s a normal turn over protein. So you do need to eat it at some point. You can’t go forever fasting. But you don’t ramp up your protein burning. That’s not what happens. There is a normal turn over of bones and muscles. If you look at urinary losses, the protein goes down. There is studies that show that you burn some amino acid when you start fasting. I’m not sure that’s a bad thing. Most of us eat more protein than we need. So, the first thing you’re gonna do is to get rid of the excess carbohydrates and excess amino acids too. I’m not sure if that’s a bad thing. One you are not actually burning muscle. Two, muscle is not the same as protein. There is autophagy, but there is a lot of protein you want to get rid of. It’s very interesting. There is something called “mammalian target of rapamycin” (MTOR). People talk about it quite a bit these days. The MTOR is a pathway that sensitive to nutrients. The nutrient that is most important to MTOR is protein. Protein restriction can active it. And people think that this may be very beneficial. Dr. Ron Rosedale gave a talk about this at the Low Carb Vail of how protein restriction might be important too, because of this MTOR pathway. And fasting does the same thing. I’m not sure that excess protein is all that good for you either. So, the fact that you have a little bleep in terms of burning amino acid, I’m not sure it’s a bad thing. You’re just getting rid of the excess amino acids. All those excess things have to go. If you lose weight, your connective tissue has to go down too. You can’t purely lose fat. At some point you have that connective tissue that holds the fat… the skin and so on. That has to go! So, you might as well burn that off with protein. That’s what autophagy is. Some studies on autophagy have shown that we can actually get a decent amount of protein breakdown, but it’s not a bad thing. What you’re not doing is burning muscle until you get down to 4% body fat, which is extremely low. If people burn muscle but store fat… if you keep going through this cycle, you should wind up 100% fat. Because every time you are storing fat and burning muscles. So how come those native peoples who had these feast famines that cycles all the time… they go days without eating… or lions that eat every 7 days… how come lions are not a pure ball of fat? It’s like… that’s ridiculous. Burning a little bit of excess protein in our diets is not the same as burning muscles. That’s what everybody gets concerned about. There is also a whole confusion about the DEXA Scan. The DEXA Scan is supposed to measure fat, but I’m not sure if it actually measures what is supposed to. If you have a fatty liver… the liver is considered lean tissue. Now, if you shrink the liver, is it counted as fat loss or lean tissue loss? I’m not sure it’s sensitive to differentiate the two. You are talking about fractions of a percent here. This DEXA Scans, while they may or may not be accurate… look at what’s important… If you fast, do you feel noticeably weaker at the end? Not really. If you keep doing it over and over, are you noticeably weaker? Heart failure from fasting? I’m not talking about people who are BMI 15 and fast – then, yeah, you’re gonna kill yourself. But if you are a BMI 35, 40… you shouldn’t be worried. The other thing is nutrient deficiency. People say “you’re gonna get malnutrition.” Here is the thing: If you are a BMI of 40 and type-2 diabetes, you have a serious disease. You need to treat it and fasting will help you. You can make things to help you mitigate that risk of malnutrition. You worried about nutrient deficiency? Scurvy? You have a patient with type-2 diabetes and obesity and you’re worried about developing scurvy. You gotta be kidding me. Treat the disease that you actually have. If you are worried about nutrient deficiency, take a multivitamin. You don’t actually need to, but you can, if you want to. It’s kind of ridiculous. What are you worried about being deficient in? If it’s vitamins, take some vitamins. That’s easy enough to solve. There was one guy in the 70s that fasted for 382 days, taking just a multivitamin. 382 and people are worried about going for 15 hours. The scales are way off here. For more than a month, I’d start getting worried about nutrient deficiency. But alternate daily fasting, like fast one day and don’t fast one day… the days that you’re not fasting you can eat nutrient dense foods, salads, green vegetables… you’ll get plenty of vitamins. There is no problem.

Rodrigo Polesso: Dr. Souto, do you have a question?

Dr. Souto: I would like to emphasize what Dr. Fung said. When you measure body composition, this is not so accurate as people think. For example, if you are losing weight during a low-carb diet, or intermittent fasting, you’ll lose glycogen and water. These will come from your muscles. So, it will show as you’re losing lean body mass, which is not true, right?

Dr. Jason Fung: This was the problem with Jimmy Moore’s experiment. It was very interesting because he lost 20 pounds, but 10 pounds of muscles. His doctor said “you lost 10 pounds of muscle, that’s terrible”. Everybody went crazy on it. They break it down to where you lost that muscle. It was all from his abdomen. Those big muscles from your abdominal wall? Then he went back on his regular diet and regained some of that weight… and gained 7 pounds of muscle. Without exercising, eating caused him to gain 7 pounds of muscle. Are you sure about that? It’s the water loss that comes from the muscles. They count it as muscle loss. It’s not muscle loss. It’s the weight of that muscle, because of the water you’ve lost from it.

Dr. Souto: I’ve lost count of how many people came to my blog saying “I’ve lost 1 kilo of muscle”. As if they count actually measure that.

Dr. Jason Fung: I have my doubts of the accuracy of that. If you are worried about muscle mass, go exercise. Diet and exercise are completely different. Diet is about destroying fat… exercising is toning and building muscle. So, if you are worried about muscle, exercise. If you are worried about fat, don’t exercise and work on your diet. Mostly you gotta work on your diet.

Rodrigo Polesso: On top of that we see some studies showing that growth hormone can go up as you fast.

Dr. Jason Fung: Right. Quite a bit, actually. That’s one of the mechanisms. Growth hormone is a counter-regulatory hormone. The sympathetic system is activated. When people fast, they are actually activating themselves. More adrenaline, the sympathetic system, growth hormone, cortisol… all can activate as you fast. That’s why some people feel energized. Elevated cortisol… is that a bad thing? It could be in some circumstances. Some people say that their heartbeats go up when they fast. Definitely, it could. Sometimes it goes too fast… then you probably have to tone it down. But these are things that are supposed to happen. As your glucose goes down, you activate all these hormonal systems to keep the glucose high and activate your body.

Rodrigo Polesso: I think we are reaching the end here. I hope this knowledge blows people’s minds. The weird thing is that it’s so contradictory. People tend to be very skeptic about it. But everyone should be skeptic about anything about health. Everyone is invited to do their own research and read Dr. Fung’s book, “The Obesity Code”. Read Dr. Souto’s blog. Everyone should be skeptic. But let’s pay attention to facts and not false truths that are spread all over the world. With this, I would like to thank you very much, Jason, for your time and Dr. Souto for your time as well. I think we had a very productive talk here. I really hope people take a lot out of it. So, thank you again, both of you. It was a really nice talk. I really had a good time. I hope we can talk again in the future.

Dr. Souto: Yes, thank you very much, Dr. Fung.

Dr. Jason Fung: Ok, thank you.

Rodrigo Polesso: Thank you.

Fundador do EmagrecerDeVez.com e autor de 3 livros eletrônicos bestseller: Emagrecer De Vez, 50 Receitas Para Emagrecer De Vez e Hipertrofia Muscular.

  • Renato Souza

    Muito bom esse podcast sobre o jejum intermitente, parabéns! Gostaria de saber um pouco mais sobre exercícios físicos em jejum, faz mal ou não, o Dr. Jason deixou bem claro que dieta é uma coisa e exercício físico é outra, porém, quem quer seguir as duas coisas, é benéfico ou não o exercício físico no momento em que está de jejum a +/- 12h?

    • http://emagrecerdevez.com Rodrigo Polesso

      Bom, posso te dizer o que eu faço por exemplo. Eu sempre me exercito (academia pra musculacao) em jejum de 14 a 16 horas. Eu me sinto super bem. Existem estudos que mostram benefícios da prática pra ganho de massa também, mas nunca vi nada absolutamente conclusivo neste sentido.

  • Jamile Batista Dos Santos

    eu ameiii o podcast !mas fiquei com uma duvida eu estou ficando em jejum por 24 n er planejado n sinto fome o dr Fung tratou sobre uma maneira planejada um dia em jejum outro alimentado .To fazendo algo errado? Nao perco um pod cast Muito obrigado a vc e ao dr Souto por abrirem nossos olhos.

    • http://emagrecerdevez.com Rodrigo Polesso

      Acho que a idéia do jejum intermitente é que ele seja, justamente, intermitente. Não precisaria ser estritamente planejado se você não tem um objetivo claro em mente. Um jejum de vez em quando pode ser algo benéfico também em pessoas saudáveis 🙂

      • Jamile Batista Dos Santos

        wow que rapido !rsrs muito obrigado Rodrigo eu me sinto muito bem no jejum realmente n planejo fiz isso a semana passada toda e essa tbm .obrigado que vc continue forte e saudavel pra nos informar por muitoooos anos .

        • Carlos Heriques Crespo

          Parabéns Jamile, eu tb faço as vezes,e vou passar a fazer intermitente! Abraços

          • Jamile Batista Dos Santos

            obrigado Carlos er natural vc tbm conseguira sorte .abs

  • Carlos Heriques Crespo

    SEM PALAVRAS, SÃO PESSOAS ABENÇOADAS QUE Deus COLOCA EM NOSSO CAMINHO….PERFEITO ESSE PODCAST…JEJUM SEJA ELE RELIGIOSO OU PARA SAÚDE SEMPRE TRARÁ BENEFICIOS…..NOTA 1000 PARA A CONVERSA ENTRE OS 3.

    • http://emagrecerdevez.com Rodrigo Polesso

      Que legal que gostou Carlos. Obrigado pelo feedback!

    • Neide Farias

      Verdade, pessoas abençoadas, que estão nos ajudando com essas descobertas,..

  • Thiago

    Sensacional!!
    “Música” e Leitura obrigatória para a maioria das pessoas.
    Rodrigo, sugiro espalhares ainda mais esse podcast, criar um tópico no fórum da tribo.
    Todos precisam ler e/ou ouvir, a maioria das duvidas que surgem estão mais que esclarecidas aqui.

    • http://emagrecerdevez.com Rodrigo Polesso

      Com certeza Thiago!!

  • Leandro Rocha

    Parabéns como sempre! Esse podcast foi brilhante e me tirou muitas dúvidas. Pergunto: janto no máximo até as 22h e no outro dia fico no chá mate Leão até meu almoço que faço às 13h. Vou pra academia das 17 às 19 e janto novamente lá pelas 22h. Posso manter esse ritmo, pois já perdi 13 kgs de fevereiro pra cá e me sinto bem mas minha esposa acha que por eu fazer somente duas refeições diárias vou “morrer” qualquer dia, rsrsrs… abraços e tudo de bom!

    • Alex

      Cuidado. Se esse chá mata leão, imagine então quem não come?
      Eu sei. Piada velha, mas eu não podia perder a oportunidade.

      • Leandro Rocha

        Boa! kkkkkkk….

        • Alex

          Se eu espirro a minha esposa culpa a paleo/lchf e JI. Se a Dilma caiu, minha esposa culpa a paleo/lchf e JI. Se alguém levou um tiro de bala perdida, idem. Ela diz que estou magrinho e sem barriga e por isso eu vou morrer. Claro que vou morrer. Não sou do clã MacLeod..

  • Marlene Miyke

    Gostei! Muito interessante, já pratico o jejum com fins religiosos, sabia que era benéfico ao organismo, mas agora ficou mais evidente e dirimiu algumas dúvidas. Parabéns!

    • Alex

      Também faço com fins religiosos, baseado na crença de melhorar a saúde e não voltar a ter aquela barriga indecente.
      Só fiquei com uma dúvida. Quanto tempo de jejum é necessário para que o hormônio de crescimento dê um up considerável? Por exemplo, 16h de jejum aumenta em 10% o hormônio de crescimento e para valer a pena deve-se fazer, ao menos, 1 ou 2 vezes na semana? Valeu e um queijo!

      • Marlene Miyke

        Desnecessário o seu sarcasmo, o Dr. Fung valorizou o jejum religioso. De forma que é válido tanto um como o outro.

        • Alex

          Opa. Não foi sarcasmo. Apenas uma brincadeira. Sei que os muslins e os budistas e até cristãos praticam jejum. Valeu! Peço desculpas se te ofendi. Um queijo!

          • Marlene Miyke

            Entendi. Desculpado.

  • Nathalia Lima De Araújo Almeid

    Sensacional! Apenas isso

  • Neide Farias

    Jesus amado, estou de boca aberta aqui , muito legal esse podcast, maravilhoso, me exercito para emagrecer mas agora percebo, que no caso quero mais é eliminar gorduras, não obter musculos, adorei, embora eu ja estou eliminando peso vagarosamente, mas vou aumentar os meus jejuns intermitentes, isso acelerá, porque confesso, que me alimento as vezes, sem ter fome por compulsão, mesmo alimentos da tabela verde a permitida, esqueço que temos uma grande reserva de GORDURA QUE NOS FORNECE ENERGIA, dentro da gente, e que não a ulitizamos, por vicios de comer, valeu Rodrigo , PARABÉNS,

    • http://emagrecerdevez.com Rodrigo Polesso

      Que ótimo!! Obrigado! 🙂

  • André

    Olá, Tribo!

    Também pratico Jejum intermitente e estou fazendo experimentos por períodos mais longos.. Não sei se é impressão minha mas, no caso de períodos mais longos, acredito que seja necessária certa preparação. Por exemplo: no período anterior ao jejum tento restringir um pouco mais os carbs para começar o jejum já em modo de queima de gordura e apetite reduzido.. Vocês concordam com isso?
    Algo que senti falta na discussão foi falar sobre possíveis reações adversas e quando, nestes casos, deve interromper o jejum… Já ouvi o Dr. Souto comentando e concordo por experiência própria que é normal sentir alguma fome nos horários que costumava comer e que essa fome passa.. Porém existem casos de pessoas que sentem tontura ou coisas do tipo.. Como gerenciar isso? Quando é necessário repor sais?

    Sou um grande fã do trabalho do Dr. Souto e agradeço muito pela seriedade com que conduz o assunto. A proposta de embasamento científico traz credibilidade e confiança para fazermos nossas escolhas.. Saí de 90 para 70 kg nos primeiros 7 meses e venho mantendo esse peso por mais 5 meses!! Provavelmente devo uns 5 ou 10 anos de vida!! rsrsrsrs!!! Não tenho como pagar!!!

    • Alex

      Me amarro no dr. Souto (mas com nó de mágico), mas acho que dessa vez ele estava emocionado.

    • http://guiadaboaforma.com.br Carla Basílio

      André, isso costuma ser um reflexo condicionado. Passadas as primeiras tentativas, você vai deixar de sentir fome.

      E é muito importante saber diferenciar fome de vontade de comer.

      A fome é física. A barriga dói, ronca, sentimos uma sensação forte de vazio. É bem possível que a gente nunca tenha sentido fome de verdade na vida, só desapontamento por não poder comer o que queríamos comer na hora que gostaríamos.

      Sobre seu jejum, penso que seria bom começar de manhã, contando com as horas de sono, daí você poderia comer o que quisesse na última refeição, pois passadas as horas de sono, sua insulina estaria baixa de qualquer forma.

      Por incrível que pareça, à noite é o melhor horário para comer carboidratos (em uma dieta low carb). Ajuda a dormir melhor, inclusive.

      • André

        Obrigado, Carla!

      • Alex

        Qual tipo de carboidrato? Folhas ou do tipo batata doce, inhame?

        • http://guiadaboaforma.com.br Carla Basílio

          Batata doce, inhame, aipim (mandioca), frutas. Até batata inglesa, arroz e tapioca poderiam ser incluídas. Se você manteve a insulina baixa o dia todo, comer um pouco de carboidrato à noite não tem problema nenhum. E como eu falei, ajuda a dormir melhor.

          • Alex

            Valeu pela ajuda. Pelo que vi você está muito bem na malhação e na dieta. Thank u.

    • Ellen M.

      Você já toma caldo? Dr. Souto recomendou no blog dele, e fez uma diferença muito grande para mim. Fiz um jejum de 21 horas mais tranquila do que antes ficava com 16 horas.

      • André

        nunca fiz… achei meio complicado. vc costuma cozinhar os ossos por 24h mesmo?
        mas consigo fazer jejum de 24h tranquilo..

        • Ellen M.

          Não!! Eu fiz um super simples, só uma carne daquelas com bastante osso, alho, cebola, quiabo, ervas e sal. Fervi tudo junto e depois coei, deixei no máximo 1:30h na panela! Já ajuda bastante (mas eu fiz ele bem salgadinho, sinto falta de sal nos jejuns).

          • Andre Lima

            Obrigado pela dica..
            Vou tentar fazer…

          • Alex

            Foi na panela de pressão? Qual o nome da carne?

          • Ellen M.

            Na panela normal. A carne não lembro. Peguei uma carne de boi que tinha osso (tinha mais carne que osso), nem lembro qual corte era.

    • Alex

      Claro que pode pagar com dinheiro, cheque, cartão de crédito, vale alimentação, dólar, de boa. rs

  • Silvania Coelho

    Arrasou pessoal! Eu comecei a fazer jejum por que tive que parar com os exercícios por causa de uma cirurgia em que eu tive que ficar 3 meses sem me exercitar. O resultado foi maravilhoso… Pq eu pensava que se eu não me exercitasse eu ficaria gorda mesmo com a dieta e isso não é verdade!!! SEM ME EXERCITAR, apenas fazendo jejum, não perdi músculos, minha barriga está ainda mais chapada, não tenho mais aquela flacidez no corpo clássica de quem come muito carboidrato, me sinto maravilhosa!!! Beijos Rodrigo, vc salvou a minha vida me tirando do paradoxo – comer menos e se exercitar mais e consequentemente viver passando fome – divulgando a verdade sobre emagrecer. Sem palavras para agradecer <3

    • http://emagrecerdevez.com Rodrigo Polesso

      Ah que ótimo Silvania! Fico extremamente feliz com seu sucesso na saúde 🙂

  • Alex

    Faço jejum intermitente de 14 a 19 horas todos os dias. Nos fins de semana, eu reduzo para 13 ou 14h, porque não sou Tony Stark. Esse podcast foi sensacional. Agora fiquei mal acostumado e ja estou na espera do Gary Taubes, Mark Sisson e Ancel Keys (ops!)

    • http://guiadaboaforma.com.br Carla Basílio

      Hahahaha… Pro Ancel Keys a única pergunta seria: “Cara, por que você fez isso? POR QUÊ?!?!”

      • Alex

        Aí são 2 perguntas (a segunda repetiu a primeira). 😀
        Mas é verdade. Até agora não entendi por que um cara que promoveu a tal alimentação mediterrânea, condenou a gordura e isentou o açúcar. Já li inclusive em alguns sites de nutricionistas que o Keys é considerado o Einstein da área.

  • Josi

    Gente que fantástico!!! que riqueza de informações!!! sem palavras…. Rodrigo… se eu almoçar as 13h15 todos os dias e ficar sem comer até as 6h30 do dia seguinte durante a semana ( de segunda a sexta) acha adequado este formato de jejum? gostaria de ler seus comentários… obrigada!!!

  • http://guiadaboaforma.com.br Carla Basílio

    Excelente podcast. Um dos melhores até agora. 🙂

    Tinha essa dúvida em relação ao jejum intermitente para mulheres, embora funcione muito bem para mim e para muitas das minhas leitoras.

    Acho que o mais importante é a gente saber ouvir nosso corpo. O jejum não é uma obrigatoriedade, mas certamente comer 6x não deveria ser ensinado como tal. O simples fato de fazer 3 refeições ao dia já ajuda muitas pessoas a chegarem nos seus objetivos.

    Também vejo o jejum como uma forma de se desapegar da comida, de desfazer relações emocionais com os alimentos.

    É uma excelente oportunidade ser mais produtiva: estudar, trabalhar, fazer exercícios, se concentrar verdadeiramente em algo, olhar para dentro de si, silenciar o pensamento.

    Que mais pessoas voltem a usar essa prática milenar que nunca deveria ter saído de moda! rs

    • http://emagrecerdevez.com Rodrigo Polesso

      Que bacana! obrigado pelo feedback Carla!

    • Ellen M.

      Exatamente o que penso!

  • http://www.guidaribeiro.wordpress.com Guida Ribeiro

    Excelente como sempre! Muito obrigada pela enxurrada de maravilhosa informação!

  • Marina Medalha Mesquita

    Muito obriga e parabéns pelo trabalho!
    Fico me perguntando quanto tempo levariámos pra ter acesso à essas informações se não fossem a internet e pessoas como você.

  • Catarina Mendonca

    Adorei o assunto e tudo que foi dito. Fiquei em dúvida se afinal, no meu caso por exemplo, o jejum intermitente pode ser feito por quem tem resistência a insulina comprovada, está acima do peso e tome medicação a base de metformina? Muito obrigada.

  • Stefani Rackes da Silva

    No início do Post havia a indicação de que seria feita uma análise entre jejum intermitente e atividades físicas… Era o momento que eu mais estava esperando, mas não veio :/ Então, o jejum não deve ser feito quando irá se realizar uma atividade física? Ficou esta grande curiosidade… Abraços!

  • Luana Zaragoza

    O melhor video que ja vi sobre o assunto! Fantástico!
    Muito obrigado pela iniciativa e por compartilhar!
    Dr. Fung é sensacional!
    O Rodrigo fez perguntas excelentes e pertinentes! Estava com Uma dúvida com relação ao café turbo e para a minha surpresa foi comentado nas só sobre isso, mas até sobre as variações de jejum!
    Maravilhada!

  • http://www.syguima.com Guilherme Oliveira

    Ótimo podcast parabéns!

    Estou seguindo as dicas dos vídeos junto com o Blog do Dr. Souto em 6 semanas baixei 10 kg e 6cm de circunferência.

    Eu faço musculação a 14 anos, ou seja, estou definindo.

    Agora veio a dúvida, quais alimentos seriam os melhores para potencializar o ganho de massa muscular, excluindo é claro tudo que é enterrado (tubérculos etc, mesmo eles sendo melhores).

    Vou manter a dieta com menos de 60g diária de carb, devido aos benefícios ao cérebro e a ausência da fome.

    Daria pra falar desse assunto?

  • Natacha

    Excelente!
    Gostaria de sugerir um podcast sobre o cortisol, meu inimigo rsrs Obrigada!

  • Otton Junqueira

    Parabéns! Excelente podcast, muito esclarecedor.
    O único problema que acho no jejum prolongado é o hálito que fica realmente mais forte devido a ausência do alimento. É como as pessoas que sofrem de diabetes.
    Alguma dica sobre isso?

    • Rogério Sabeh de Castro

      Como uma sugestão, hortelã, canela ou cravo.
      Se os cremes dentais não fossem tão tóxicos, eu diria pra aumentar o número de escovações.

  • Lucas Camargo

    HIIT com jejum intermitente é uma boa?

  • José Pinto

    Muito bom! Agora me surgiu uma questão. Existem recomendações diárias para vitaminas e nutrientes nesse caso o corpo se vira, exemplo: magnésio, sódio, potássio, Vit A, B(complexo), C, etc..

    • Rogério Sabeh de Castro

      Durante o podcast eu pensei que essa poderia ser uma pergunta das pessoas que não compreendem o jejum. Primeiro temos que saber que as Recomendações Diárias não são um dogma. A questão é: as vitaminas e minerais vão faltar no corpo se eu ficar um dia sem ingerir nada? Ainda que ficasse, seria prejudicial? Essas recomendações estão mesmo corretas? Estão atualizadas?

  • Alexsandra

    Voltando a fazer IF por causa deste podcast! Thanks!

  • https://www.flickr.com/photos/alexsandramm/ Alexsandra

    Pergunta:

    – água aromatizada* quebra jejum?

    * deixar algumas horas na água: rodelas de limão, pepino, hortelã, gengibre, e tomar só a água depois.

    Thanks.

  • Gian Gonçalves

    Excelentes dicas Rodrigo!

    Galera, IMAGINE você com um corpo completamente SARADO, barriga tanquinho e recebendo vários elogios.
    Foi encontrado o método para deixar SEU CORPO DO JEITINHO QUE VOCÊ GOSTA.
    Testado e aprovado por mais de 1000 ALUNOS e pelos MELHORES COACHES DO MUNDO.
    Aproveitem PORQUE SÃO POUCAS AS VAGAS.
    ACESSE O LINK e conheça esse método INCRÍVEL que esta QUEBRANDO OS PARADIGMAS DA MUSCULAÇÃO.
    http://bit.ly/29K8NCE

  • Virginia Socorro

    Rodrigo, me tire uma dúvida por gentileza: já faço JI todos os dias… tem algum problema ou tem que ser até quantas vezes na semana?

  • Lys Matos

    Sensacional esse vídeo… Parabéns!
    Rodrigo, esse trabalho de conscientização que vcs estão fazendo é muito válido!

  • Lucia Helena Marques da Silva

    Olá Rodrigo, o flexi bread que cita na entrevista: há ingredientes equivalentes no Brasil? Vc tem a receita?