[Censurado] A Chocante Verdade Sobre Problemas Cardíacos


Esse artigo de hoje pode deixar muita gente de boca aberta e queixo caído, pois escancara uma verdade que é simplesmente o OPOSTO do que se acredita por aí.

Infelizmente este, frequentemente, é o caso quando tratamos de nutrição e o meu objetivo e propósito maior aqui é trazer mais CONSCIÊNCIA para estas informações que podem salvar vidas.

Aliás, as chances são de que se você mostrar este artigo para o seu médico, ele poderá rir de tão “ridículo” que acha que é, poderá xingar você por acreditar nestes absurdos ou ainda querer brigar comigo por divulgar algo assim…

Enfim, eu acredito que o poder de salvação deste tipo de informação é muito maior do que qualquer revolta potencial de supostos profissionais de saúde que deveriam se atualizar para ajudar seus pacientes a serem mais saudáveis ao contrário de doentes.

Enfim, eu não quero me delongar muito, logo, seguimos…

O Que é Dito Por Aí Hoje

Hoje quando você tem um colesterol total alto, seus médicos te alarmam dizendo que você está com risco alto de problemas cardíacos.

Segundo o Instituto Nacional Do Coração, Pulmões e Sangue nos EUA, se seu colesterol total no sangue é igual ou maior que 240mg/dL, ele é considerado ALTO (2).

Agora, colesterol total nada mais é do que uma soma do “colesterol ruim” LDL + “colesterol bom” HDL.

Eles dizem que precisamos ter o colesterol bom o mais alto possível e o ruim o mais baixo possível.

Mas pera aí, se nós subirmos o colesterol bom, o que seria ótimo para nossa saúde, isso não significa que a soma ali do colesterol total ficaria maior? Quando maior o colesterol bom, maior o risco? Huh? Pois é… parece piada.

O Que a Ciência Mostra

Enfim, viajando um pouco no tempo, antigamente se acreditava que colesterol total era um bom indicador de problemas cardíacos.

Depois, com o avanço dos estudos e da medicina, descobriu-se que existem 2 tipos de colesterol, o “bom” e o “ruim”, ou seja, o HDL e o LDL.

Seguindo mais a frente, descobriu-se que existem ainda mais subdivisões!

Agora sabe-se que existe o colesterol ruim-ruim e o colesterol ruim-bom! Confuso?

É… o LDL é subdividido agora em LDL bom (partículas grandes) e o LDL ruim (partículas pequenas).

Seguindo adiante, descobriu-se também, porém é menos comumente divulgado, que o LDL bom (partículas grandes) é totalmente saudável e não apresenta risco à saúde.

Isso deixa a culpa das mãos do colesterol ruim-ruim que seriam as partículas pequenas de LDL, as quais muitos chamam de VLDL.

Agora, o mundo científico verificou que, ao contrário do que é dito por aí, o que induz a produção de VLDL não são as gorduras naturais que se ingere ou o colesterol que se ingere através da alimentação, mas, sim, uma dieta alta em carboidratos refinados (corroborada pela ingestão de óleos vegetais ricos em omega 6).

Ah, então o que intensifica os riscos de problemas cardíacos é justamente o tipo de dieta seguindo a “pirâmide alimentar” que nos é ensinada como sendo saudável pelos governos, indústrias e profissionais de saúde desatualizados? Pois é…

Não é por nada que dados estatísticos históricos mostram uma correlação incrível do aumento do número de problemas cardíacos seguindo as diretrizes divulgadas de se comer menos gorduras e mais cereais, pães, carboidratos e óleos vegetais.

Verdades Ainda Censuradas

censuraA ciência não parou no tempo e profissionais competentes também não ficaram quietos no tempo, apesar de terem suas vozes abafadas pelos governos e indústrias.

Hoje, sabe-se que o melhor indicador existente de problemas cardíacos futuros é o seu nível de HDL no sangue (e não o quão alto é o seu “colesterol ruim” LDL ou colesterol total).

Nas palavras do Dr. David Grainger, da Universidade de Birmingham na Inglaterra:

“HDL é o “melhor” indicador de doenças cardíacas. Ou seja, dentre todas as medidas de lipídios, o HDL tem a mais forte associação de todas com doenças cardíacas em estudos “cross-sectional” feitos e é o maior preditor de futuros problemas cardíacos segundo estudos prospectivos.” (1)

Adicionalmente, veja:

Em um dos maiores estudos já feitos sobre nutrição, o Framingham, uma das grandes surpresas descobertas foi sobre o “bom colesterol”, ou seja, o HDL.

Em se tratando do risco de problemas cardíacos, os líderes do estudo reportaram que em tanto homens quando mulheres de idades entre 40 e 90: “De todas lipoproteínas e lipídios medidos, o HDL é o que tem o maior impacto (positivo) sobre o risco.”

As pessoas com níveis baixos de HDL (abaixo de 35mg/dL) tiveram uma taxa de ataques cardíacos 8x maior do que as pessoas com HDL alto (65mg/dL ou mais). Segundo os autores, esta correlação foi “incrível” e foi o “achado mais importante” de todos os dados sobre colesterol.

Ainda:

O NIH (Instituto Nacional do Coração nos EUA) financiou alguns estudos que investigaram a relação entre dieta alimentar e o HDL, porém, estes foram também omitidos e você já vai entender o porquê.

A dieta alimentar que é divulgada por aí pelos governos, indústrias e a maioria dos profissionais da saúde é a da baixa gordura.

A dieta que segue a pirâmide alimentar, enfim.

Agora, como Nina Teicholz diz no seu excelente livro The Big Fat Surprise: “Se você não publicar um estudo, você não precisa falar sobre ele.”, continuando…

“Se você quer que a dieta de baixa gordura seja boa e as gorduras saturadas sejam más, então você ignora o HDL e isso vira uma linda história.”

Nestes estudos omitidos, encontrou-se que, conforme Nina diz: “o que aumentou o HDL mais eficientemente do que qualquer outra coisa não foi vinho tinto ou exercícios físicos, como costumamos pensar, mas, sim, gordura saturada. Comer gordura animal aumentou o HDL e foi o único alimento encontrado que fez isso.”

Gordura saturada é o que mais aumenta o tão desejado e saudável HDL no sangue? Pois é…

Seu médico muito provavelmente nunca vai te dizer isso…

As Verdades Claras Como Água (sem censura)

Com tudo isso em mente, o que a ciência sabe ser verdade hoje é que:

HDL alto é um ótimo indicador de baixo risco de problemas cardíacos.

Agora, o que aumenta o HDL no sangue?

A ingestão de gorduras saturadas, ou seja, gordura animal de carnes, manteiga, bacon, leite, queijos, etc, alimentos que o ser humano vem comendo normalmente ao longo de toda a história da humanidade até que na metade do século 20, o Dr. Ancel Keys resolveu convencer o mundo de que isso fazia mal.

Hoje a ciência já provou e comprovou que Ancel Keys estava sumariamente errado. Porém, o estrago foi feito…

Outra, o que é mostrado cientificamente aumentar o tipo RUIM de colesterol, o VLDL?

Uma dieta seguindo a pirâmide alimentar, rica em carboidratos refinados, açúcares e óleos vegetais.

Então temos:

Gorduras naturais –> aumentam o HDL –> previnem problemas cardíacos

Agora, você acha que tão cedo o governo e a indústria irão divulgar para a população que eles estiveram errados durante décadas a fio, pregando diretrizes falsas, perigosas e infundadas e que agora todos devem começar a comer uma dieta OPOSTA a recomendada, rica em gorduras naturais, incluindo gorduras saturadas, baixa em óleos vegetais e cereais para se ter uma saúde cardíaca perfeita?

Livro eletronico Emagrecer De VezEspero que você possa entender um pouco mais agora das forças que continuam a reprimir o que a melhor ciência nutricional do mundo já sabe ser verdade.

A ciência já tem o conhecimento para diminuir drasticamente os problemas cardíacos do mundo, a obesidade e o diabetes, porém, quem tem a força de divulgar informações não é ela, mas, sim, os governos, as indústrias, a mídia, etc…

Uma hora ou outra o paradigma irá mudar… aliás, já está mudando, porém, muito lentamente.

O que está em jogo é a minha e a sua saúde… a saúde dos nossos entes queridos!

Enquanto a massa continua disseminando informações distorcidas, falsas e perigosas, nós precisamos tomar responsabilidade pela nossa saúde e fazer nossas próprias investigações.

Espero que este artigo tenha sido útil. Por favor COMPARTILHE como puder.

Um grande abraço,

Rodrigo

PS: Eu reuni no “Método Emagrecer De Vez” tudo que a ciência mundial sabe hoje sobre emagrecimento eficaz, saudável e comprovado. Clique aqui se o seu objetivo é emagrecer nos próximos meses e ser mais saudável.

PS2: Seja sempre cético, não acredite cegamente no que você lê e ouve, nem mesmo aqui no site. Faça suas próprias pesquisas, questione, investigue! A sua saúde só depende de uma pessoa, você mesmo!

  • Gabriel Muller

    Se eu não me engano o HDL é o colesterol de maior densidade, ou seja, de menor volume, tendo em conta que Densidade= Massa/Volume. E que ele em maior quantidade consegue empurrar o LDL (lipídios de maior volume) das paredes das veias e artérias, consequentemente evitando varias doenças veiculadas à circulação.
    Os exames de sangue demonstram claramente os níveis de HDL E LDL separadamente, e o medico sabe muito bem disso, no que se refere ao tamanho das partículas de gordura, quanto menor a partícula melhor será ao organismo pois ele conseguirá usar o lipídio para a formação de novas células e para desobstruir as gorduras acumuladas
    Eu sou a favor do naturalismo alimentar, quanto mais natural o alimento for, melhor ele será aproveitado. O real problema das gorduras são aquelas relacionadas aos óleos vegetais, os quais ao sofrerem hidrogenação (o que geralmente acontece, tanto por ação antrópica quanto da natureza) elas formam as famosas gorduras CIS e TRANS que fazem muito mal à saúde, elas que muitas vezes formam o LDL (maior volume).

  • Marco

    Meu bisavô Alexandre Rossi Nicoladelli faleceu em 2003 aos 101 anos após pegar uma simples gripe. Durante toda a sua vida, foi um feroz consumidor de carne com gordura de porco, de gado em geral e de outros animais como ovelha por exemplo. Mas o velho gostava mesmo era daquela carne de porco com bastante gordura. Gostava do leite tirado da vaca na hora. Tomava bastante água e consumia gorduras naturais como ninguém. Aos 101 anos ele ia todo dia cuidar da sua horta e tinha saúde pra mais uns 10 anos. Porém o sistema imunológico já está judiado e morreu feliz. Nós somos da geração que a gordura faz mal e as pessoas morrem com 40 anos de ataque cardíaco. Nossa geração nutricionalmente falando, é uma piada.

    • Marco, a sociedade moderna, cientificamente, é uma piada de absurdo mal gosto. Pseudosciência, ignorância científica e falta de critério pra crença(acredita-se na dúvida, não na prova). É um absurdo, todos tem acesso a informação, ninguém sabe como avaliar essa informação com o método mais eficiente inventado pela humanidade, o método científico. O ceticismo científico poderia mudar o mundo COMPLETAMENTE em 10 anos. Grande abraço!!!

  • Ademir

    Perfeito! Baita alerta pra qualquer desavisado, aliás, que privilégio os leitores do EDV tem com informações que realmente fazem a diferença. Acompanho o site a muito tempo, foi de fundamental importância na minha reeducação e de minha esposa, já pesquisei muito também a esse respeito e realmente são poucos que se dispõe a falar a verdade,
    inclusive tive a oportunidade de assistir a um médico falando que quando seus pacientes idoso baixam seus níveis de colesterol ele recomenda que aumentem, vejam só existe esperança,
    esse post do Rodrigo é excelente, principalmente na ref. ao estudo de 8x maior a taxa de ataque cardíaco em baixo HDL.
    É simples de se livrar desse paradigma, basta pensarmos quanta “graxa” temos em nosso cérebro e quanta água temos no corpo, devido a isso tomamos água para nos mantermos saudáveis e do mesmo modo devemos ingerir gordura pra mantermos nosso cérebro ativo e inclusive longe do Mal de Alzheimer e outras doenças relacionadas. Parabéns pelo post.

    • Fala Ademir! Fico feliz que tenha gostado!!! Muito boa a analogia da graxa, manter a mente sem ressecar heheheh! Grande abraço!

  • Tatiana R.

    Oi queridos amigos, vcs poderiam compartilhar os links dos artigos que vcs postam?? Estou estudando nutrição e gostaria de ir mais a fundo neste assunto. Obrigada.

  • Fabio

    Rodrigo e Geosh. O artigo é bom, mas tive que reler algumas vezes para entender a seu contexto (e tenho formação em bioquímica). Apenas sugiro por favor que coloque os links para os artigos originais dos professores e pesquisadores citados.

    Abraço.

    • Rodrigo

      Coloquei as referências no próprio artigo Fábio, em (parenteses) com um número, perto das citações que requerem referência 🙂

      • ultraman2000

        rodrigo
        o queijo feito de leite cru da roça pode ser uma boa para mim?
        obs:nao fiz o teste do leite,mas desde ano passado nao tomo,nem como queijo e iorgute .como saber se pode ser um bom alimento para mim?pois aqui perto de casa vende leite d roça e queijo feito la tambem

        desde ja muito obrigado

    • Fábio, escrevi um artigo a respeito também, nele tem o link pro artigo original se não me engano. Abraços!

  • Gabriela Alves

    Boa Tarde Rodrigo
    Sou um exemplo prático desse assunto. Todo ano faço check up. Desde o inicio das avaliações (2007) meu colesterol sempre se mostrou “alto”. Após ler seu livro, entre outros que tive conhecimento, como Barriga de Trigo e Dieta da Mente, optei por mudar a alimentação. Antes, porem, resolvi fazer uns exames pra ver o impacto dessa nova dieta. Fui ao cardiologista com os exames na mão e o mesmo me disse que os níveis de colesterol ruim estavam tão altos (210) que seria impossível reverter com alimentação. Assim, receitou-me um medicamento. Sai do consultório, rasguei a receita e ignorei suas orientações de evitar ovos, queijo amarelo, gorduras, manteira, etc. Após 3 meses voltei a fazer exames para ver o resultado da nova dieta. Para minha “surpresa” meu as colesterol ruim baixou para 116 (desejável 100-129) e o colesterol bom 67 (desejável >60).
    OBS: Vale dizer o detalhe do diploma do médico fixo na parede: Cardiologista formado na USP em 1972 e nada mais!!!!!

    Graças ao meu caso prático estou conseguindo convencer os meus pais a mudar a alimentação, uma vez que eles sempre comeram “corretamente” e tinham resistência à esses “absurdos” de comer gordura saturada.

    • Lu

      Boa Gabi!

    • Caramba, Gabriela! Li seu depoimento aqui com os olhos esbugalhados! Obrigado mesmo por ter compartilhado com a gente!

      • Rosely Ruchdeschel

        Aconteceu o mesmo com meu marido que por toda vida lutou prá baixar o colesterol ruim e subir o bom, a glicose e tudo mais. O triglicerídeos dele chegou a 970, sendo que o normal é de 70. Eu nunca consegui emagrecer, ficando acima do peso por toda vida. Mesmo eu emagrecendo bem devagarinho tô indo em frente. Só tenho que agradecer aos meninos do EDV.

  • alonso bidoia

    gostaria de saber estou completando 72 anos posso faser ese acompanhamento

    • Alonso, desde que com o acompanhamento do seu médico, não vejo pq não!

  • Jussiê

    Gostei muito desse artigo. É fácil perceber hoje em dia que a forma como a qual as pessoas estão se alimentando está errada, basta olhar ao nosso redor e vê o numero de pessoas com excesso de gordura, pra no dizer gordas, chega a ser lamentável o que alguns profissionais da saúde divulgam em favor desse tipo de alimentação. Tenho alguns amigos nutricionistas com qual tenho discutido muito sobre o fato de ingerir gordura animal é benéfico para saúde (eles são totalmente contra ao consumo de gordura animal) quando falo disso eles me quastionam: “onde estão as fontes?”, “vc acredita em tudo que vê na net”. É complicado para muitas pessoas mudar seu modo de pensar sobre isso, pois quem deveria orientar corretamente não o faz, por igorância talvez ou por falta de uma boa formação. De qualquer forma artigos como esse já faz muito a diferença.
    Voces estão de parabéns, muito mesmo!!!.
    Gostaria que vcs disponibilizasse os links dos artigos sobre esses assunto, sou professor de matemática mas, tenho uma queda por nutrição também rsrs..

    • Gabriela Alves

      Jussiê
      Acho vale devolver a pergunta…quem disse que gordura saturada faz mal?

    • Jussiê, num artigo que escrevi em 2013 sobre as diretrizes alimentares da suécia tem o link pro review que causou as mudanças por lá e foi a alavanca pra mudança de opinião pra mídia. É o melhor nível de evidência científica POSSÍVEL. É só procurar emagrecer de vez + suécia no google que vc encontra o artigo =)

      • jussiê

        Obrigado!! 🙂

  • Leonardo Bacelar

    Primeiro ponto: quando se fala para aumentar o “colestreol bom”…nao e apenas aumentar, mas reduzir a proporção que favorece o LDL;

    Segundo: existem LDL (baixa densidade, porem pequenos), VLDL (muito baixa densidade; muito lipideo e grande, pois lipideo tem pouca densida (azeite fica acima da agua))…e muitos outros alem dos citado. Nenhum deles e 100% bom ou ruim, todos sao necessários para produzir hormonios, por exemplo, médicos bons se preocupam com sua proporção;

    Terceiro: o HDL realmente hj e o maior preditor cardíaco, porém comer apenas gordura animal, como e dito, tambem aumenta os demais níveis de colesterol, nao apenas HDL + pessoa torna-se sedentaria = piora o risco cardíaco e, principalmente, leva glomeruloesclerose (envelhecimento acelerado do rim, pois trabalha muito para reabsorver os aminoacidos em excesso provenientes da dieta rica em carne);

    Quarto ponto: evolutivamente fomos criados para comer muito e produzirmos reservas, por isso perder gordura e tao dificil. Porém, contemporaneamente o pedaço de carne que comiamos a cada caçada (podia demorar dias entre cada refeição) é comido várias vezes num mesmo dia. Portanto, a carne animal pode aumentar o HDL, mas como tudo na vida é preciso de bom senso e equilíbrio e não acreditar que churrascaria todo dia será o milagre para as pessoas com sobrepeso (dietas baseadas apenas em gordura animal podem emagrecer, porem danosa para o rim em qualquer idade e é contrindicada em pessoas acima de 30 anos);

    • Leonardo, sobre segundo e terceiro item, desconheço uma relação de causalidade comprovada entre aumento do risco cardíaco os níveis de LDL em relação ao HDL e o consumo de gordura animal ou a perda da proporção hdl e ldl, mesmo no caso dos hiperresponders, por exemplo, http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19852882
      também não vejo embasamento evolutivo no acúmulo excessivo de reservas de gordura. Nenhum povo primitivo numa alimentação tradicional colabora pra essa afirmação, pelo contrário, a invalida.

  • Alessandra

    Maravilhosos artigo Rodrigo! Parabéns!!

  • Otimo texto!Parabéns!!!Dr. Lair Ribeiro já dizia q temos o LDL…considerado ruim…que na verdade…explica ele…sao por volta de 11 tipos…e dos 11…9 sao bons e apenas dois…isso mesmo…apenas dois sao considerados ruins…e quando seu médico te enfia farmacos guela abaixo pra acabar com seu LDL…ele está te tirando saúde. ..uma vez que todas as suas celulas necessitam e apresentam em sua constituição. …colesterol!

  • DAMIANA

    ESTOU AMANDO ESTAS INFORMAÇÕES REALMENTE ELAS NOS FAZ PENSAR E MUDAR DE HABITO, NADAR COM A MARÉ PODE SER MAIS FACIL POREM A QUEDA D’AGUA ESTA A ESPREITA…AGORA ESTOU ALERTA NADAREI CONTRA A MARÉ. PARABENS PELO ARTIGO.

  • Parabéns Rodrigo!! Mais uma vez nos mostrando a verdade nua e crua sobre os mitos criados pelos governos para nos manipular. Pra eles ter um povo doente, rende milhões de reais todos os meses pra poder pagar os salários absurdos de políticos e médicos corruptos que não dão a mínima para nossa saúde. Infelizmente a grande maioria prefere acreditar nestes “profissionais da saúde” que se prostituirão para ter maior lucro. Valeu pela sua dedicação em sempre estar trazendo pra gente a verdade. Abraços!

  • sidney

    Mais uma vez muito obrigado por mais esta informação muito útil para todos nos…
    Valeu..

  • Katia

    Parabéns pelo seu interesse em nós ajudar. Comprei seu livro e estou muito bem, realmente sobre o colesterol o que disse é real, pois o meu tbm estava alto e depois da dieta abaixou. Valeu pela sua ajuda.

  • Leonardo

    Geosh, os niveis aumentados de moléculas de colesterol, carreadas ou não por seus transportadores, aumenta o risco cardiovascular, pois podem aderir ou mesmo penetrar no endotélio vascular ( principalmente em areas de cisalhamento ou “areas de atrito”; relato do livro de patologia “Robbis”) e induzir o ciclo inflamatório característico da ateroesclerose (“placas de gordura que entopem as arterias”; importantíssima para o risco cardiovascular). Em relação ao outro ponto, como disse anteriormente e vc mesmo concordou; realmente os povos primitivos nao apresentavam sobre peso, pois caçavam suas prezas e nao se alimentavam com a regularidade contemporânea + nao eram sedentarios (com fast food e outras questoes modernas).
    Em relação a bioquimica do organismo humano, somos programados para fazer de tudo para manter a reserva lipidica, ate mesmo sacrificando musculatura em detrimento da depleçao de acidos graxos.
    Nao acredito que nenhum médico de qualidade e com bom senso o ostilizaria, como vc alegou, por tentar aumentar as informações e disseminar conhecimento. Apenas peço, humildimente, que o link e o senhor tenham cuidado com aquilo que divulguam, para nao ser incompleto, tendencioso ou algo do tipo (“HDL faz bem para o coração, como se outras moleculas e os hábitos saudaveis nao tivessem relevância”).

    Agradeço a atencao e qualquer duvida o senhor pode procurar professores meus, cardiologistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que pela sua excelência irao surpreendê-lo com seus conhecimentos e nao irão omitir informações, como o senhor alega que alguns medicos, talvez de menor qualidade, podem vir a fazer.

  • Virginia

    Muito interessantes as colocações de todos. O assunto do artigo dá o que pensar… é ótimo. Parabéns, Rodrigo.

  • Erick

    Excelente artigo!
    Pra mim não é novidade nenhuma porque o dr. Lair Ribeiro também fala essas mesmas coisas, ou seja, mais uma fonte super importante dando força à essa verdade.

  • ultraman2000

    os porcos caipira que me referi em outro artigo sao alimentados com restos de comida,pasto e milho
    posso consumi-los devido ser alimentados com milho?

    desde ja muito obrigado

    • Luis, pode postar em um artigo só que eu acho os comentários novos de dentro do blog pelo sistema mesmo. Bom, se esses alimentos vão ter impacto na carne do porco e até que ponto, eu não sei. Sei que o que muda é a relação entre a quantidade de gordura saturada do tipo omega 3 e omega 6. Ou seja, ao se focar em comer mais omega 3, fica mais fácil manter uma relação saudável com os níveis de omega 6 que podem ter aumentado na carne do porco, por causa da alimentação dele, entende?

      • ultraman2000

        mais ou menos!!poderia me dar um exemplo?

        • ultraman2000

          tipo,
          se eu comer uma carne de porco criada com graos mais comer uma quantidade de azeite(omega 3) , maior que a gordura da carne criada em graos(omega 6) nao interferiria em meu indice de gordura?

          • ultraman2000

            por que nao me responde mais????
            queria saber a questao acima que publiquei????
            ):

          • Fala Luis, eu sempre respondo seus comentários, mas as vezes vc comenta em mais de um artigo o mesmo e eu respondo sempre apenas em um deles. Comente sempre pelo último artigo postado no site, fica mais fácil =) Abração!

          • ultraman2000

            mas nao respondeu a pergunta
            tipo,
            se eu comer uma carne de porco criada com graos mais comer uma quantidade de azeite(omega 3) , maior que a gordura da carne criada em graos(omega 6) nao interferiria em meu indice de gordura?

          • Respondi sim! Disse que mantendo a proporção de omega 3 e 6(compensando um alimento com o outro) você não deve ter problemas pra perder gordura não. Abraços!

          • ultraman2000

            Ei geosholha eu. Aqui de novo,vou ser breve agora kkk,aqui perto de casa em um comercio vende um tal de cambui parece uma linguica,e vermelha e tem que abrir para fazer,vc conhece?posso consumir(nunca tinha ouvido nem falar nessa linguica , sei la o que e kkk

          • Luis, Nunca ouvi falar, heheheh! Mas me parece bom, é só perguntar quais são os ingredientes utilizados. abraço!!!

  • Antonio Carlos V de O Motta

    Comecei a comparar o ENORME crescimento da obesidade e dos infartos e demais desfunções orgânicas, como o câncer generalizado, e vi a correlação gritante entre o APARECIMENTO dos “alimentos” ricos em grãos, biscoitos recheados e outras bombas industrializadas. Sempre estranhei o uso de óleos vegetais em detrimento dos naturalmente aceitos e “queimados” no organismo como os animais. Sempre soou fora da frequencia, sem lógica. Enfim, hoje está cada vez mais claro e óbvio a necessidade de retomarmos a alimentação de nossos avós. Sempre ingeri muitos ovos e gorduras animais, desde criança (tenho 52 anos com saúde perfeita e, pasmem, não adoeço. Com exceção a bosta de uma dengue que tive há anos). Me sinto confortável com a tal gordura tão temida (não uso fritura, faço tudo em panelas porcelanadas e coloco manteiga ou banha de porco ao desligar o fogo). Minha digestão sempre complica quando abro uma exceção e como um maldito Oreo ou Trakinas…pois é…fica obvio na prática. Abraço a todos e VAMOS DIVULGAR ESSE ARTIGO E AS REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS.

    • Sim, Antônio. também acho muito estranho mesmo condenar alimentos tão parecidos com o que evoluímos pra comer, principalmente quando criados de maneira mais natural. Acredito sim que essas gerações mais novas terão uma expectativa de vida menor do que as pessoas que cresceram em uma alimentação mais tradicional, pré empacotamento e processamento de tudo. Mas acredito que o alinhamento com a biologia evolutiva vai nos aproximar rapidamente da verdade e teremos muitos benefícios pra saúde, inclusive preventiva =)

  • kleber

    estou acompanhando o blog desde 2013 comprei o livro, e faço exames periodiodicos todos os anos devido ao meu serviço…, meu trigliceres era de 189 quando começei a acompanhar a blog e seguir as orientações do livro hoje esta em torno de 77, e meu colesteral bom esta acima de 40, como sempre gostei de carne e gordura animal, não tenho nenhum problema em seguir este tipo de alimentação, apenas os beneficios

  • Gi

    Geosh e Rodrigo, bom dia!

    Acompanho o site de vocês há algum tempo e sempre achei suas colocações muito interessantes. Acredito que o site com todos esses textos de alta qualidade é uma ótima fonte de informações novas que, como vocês mesmo afirmam, estavam disponíveis apenas em artigos científicos até então.

    Concordo com tudo o que vocês disseram sobre o colesterol e vocês sabem que poderíamos nos alongar por horas aqui nesse debate se fôssemos explorar a fundo mesmo, por isso é tão interessante o trabalho que fazem tentando deixar a informação o mais “mastigada” possível.

    Só gostaria de deixar minha impressão como profissional da saúde, se me permitirem. Tenham mais cuidado com a generalização, por favor. Existem profissionais de saúde (não só médicos, mas de todas as áreas) bons e ruins, no Brasil e em qualquer lugar do mundo. Sim, concordo que o que é ensinado em livros textos está muitas vezes obsoleto, mas acreditem que não estudamos apenas estes livros, como muitos artigos científicos durante a graduação. Não caiam na onda geral da nação de achar que todo médico é corrupto, só quer ganhar dinheiro em cima da população e não está nem aí para ela.

    Mesmo no Canadá existem médicos pouco atualizados, assim como existem médicos brasileiros brilhantes que vão até lá ensinar. No quesito alimentação, estamos certamente atrasados nas políticas públicas em relação a países como Noruega, Suécia e talvez até o próprio Canadá (não afirmar isso com certeza pois não sei a política da alimentação das crianças em escolas canadenses), mas acredite que existem muitos profissionais por aqui que lêem tantos ou mais artigos quanto vocês e que estão prontos para auxiliar seus pacientes a terem uma vida mais longa.

    Como vocês podem ver nos exemplos abaixo, as vezes mesmo sem querer acabamos incitando um sentimento daquele desejado nas pessoas, e vocês têm uma responsabilidade muito grande por ter tanta audiência e influência (positiva) nessa comunidade.
    “Pra eles ter um povo doente, rende milhões de reais todos os meses pra poder pagar os salários absurdos de políticos e médicos corruptos que não dão a mínima para nossa saúde.”
    “OBS: Vale dizer o detalhe do diploma do médico fixo na parede: Cardiologista formado na USP em 1972 e nada mais!!!!!”

    Obrigada mais uma vez pelo brilhante texto no sentido técnico, fico no aguardo dos próximos posts!

    • Gi, no brasil temos sim ótimos médicos, pesquisadores, nutricionistas e profissionais da saúde, com valores mais científicos e menos institucionais. Esse é o tipo que nós nos orgulhamos e recomendamos também. Mais que isso, esse é o tipo que nós mais desesperadamente precisamos e dependemos, principalmente que se tornem vocais a respeito dessas dificuldades. Sempre que questionado a qualquer questão de saúde ou nutrição gosto de afirmar que a melhor coisa a se fazer é procurar um profissional atualizado. Mas veja bem, eu e Rodrigo somos da área de tecnologia, nosso foco principal sempre foi emagrecimento, é um absurdo que esse tipo de informação sobre saúde tenha que vir a tona por nós e não massivamente pela comunidade médica brasileira. Nós estamos batendo na mesma tecla desde 2012. Nós temos sim um problema com profissionais desatualizados. A tolerância pra esse tipo de coisa deveria ser zero. E não é pra menos, saúde é questão de importância primária e todo bom médico sabe que precisa se atualizar. O que a maioria não sabe é que não dá pra contar com as diretrizes vigentes, cientificamente INVERTIDAS! Eu não quero que ninguém mude de opinião sem embasamento, eu só quero que eles discutam OS ARTIGOS ORIGINAIS e as FONTES! Comparemos o nível de evidência e a qualidade da evidência científica sustentando cada argumento. A verdade é mais importante do que a opinião. Quando questionados da crença, a verdade deveria ser mais importante do que a postura. A qualidade de vida das pessoas depende diretamente disso. Portanto, acho sim que os profissionais de saúde devem ser questionados e muito questionados sim nas suas crenças, por que algumas cientificamente são nocivas. Os atualizados e embasados vão se sobressair, e os desatualizados vão ter que sair da inércia. O sofrimento pelo qual as pessoas ficam presas na ignorância faz com que algumas acabem externalizando esse tipo de coisa através do ódio. Nós somos contra o ódio, mas essa manifestação de ódio por parte das pessoas não acontece por nossa causa. Acontece por causa da postura anticientífica dos profissionais desatualizados. Cientificamente, todos temos o direito de questionar tudo e todos. Haha, desculpa o desabafo, Gi! Qualquer coisa, me avise! Grande abraço!

      • Gi

        Oi, Geosh! Que bom ouvir de você! Ah, eu não sei se ficou meio nebuloso no meu comentário, mas eu sei e já vi diversas vezes vocês recomendarem que as pessoas procurem um profissional da área, o que eu acho ótimo. E eu sei que vocês não são a favor do ódio, ao contrário, vocês são uns queridos. Concordo plenamente com você que as pessoas devem ser questionadas e devem ser motivadas a procurarem atualizações, eu mesmo vivo essa briga diária com colegas das mais diversas áreas, e não só a respeito de nutrição. Acho que todos temos que correr atrás de informações novas e que elevem nosso patamar de conhecimento. É como vocês sempre dizem, é muito difícil ir contra a maré de teorias consideradas verdades absolutas há tanto tempo, mas a gente tenta (eu, você, o Rodrigo e vários outros profissionais)!
        Acho que o que me incomodou um pouco no texto foi a generalização, apenas isso. Vivemos dias muito difíceis no Brasil, onde a intolerância tem mostrado sua cara mais vil.. Foi apenas um toque para que vocês não alimentem esse ódio “sem querer”, porque eu sei que essa não é nem de longe a intenção de vocês.
        Bom, me desculpem qualquer coisa também, concordo e defendo que a ciência é muito mais importante que a opinião, especialmente quando principalmente quando a última não é embasada em absolutamente nada ou no “aprendi assim, faço assim, propago assim”, sem nenhum questionamento.
        Continuarei acompanhando o site, obrigada mais uma vez por compartilhar o conhecimento! Abs!

  • Felipe Santos A.

    Boa tarde pessoal do Edv!!! Primeiramente parabenizo-os pelo ótimo e super trabalho e conteúdo, o qual já comecei a espalhar. Quero saber se podem por favor me auxiliarem numa dúvida.
    . Não sigo uma dieta LCHF (por enquanto, embora tenha iniciado pequenas mudanças), e sim a dieta “moderna e retrógada”, e tenho moscas volantes (poucas). Tenho pesquisado sobre Glicação e A.G.Es, e vi que os olhos são uma das partes do corpo mais sensíveis a esse fenômeno. E minha dúvida é: A dieta “moderna” com carbs refinados pode ter causado ou contribuído pro aparecimento das moscas volantes, podendo inclusive agravar o problema? Consultei a oftalmologista, e ela disse que não, mas ainda assim desconfio muito. Agradeço de desde já e mais uma vez parabéns pelo excelente trabalho.

    • Felipe, na dúvida, faça um teste! Acredito sim que uma alimentação mais científica pode sim ter um efeito específico, e que com certeza terá um efeito benéfico geral. Eu notei o efeito da diminuição dos AGE na pele! Abraços =D

      • Felipe Santos A.

        Geosh, muito obrigado mesmo pelas respostas, tanto aqui quanto no artigo sobre açúcar do ano passado. Realmente o negócio é testar. Depois de perceber os benefícios, nem ia querer voltar a alimentação moderna mais… Só tenho a agradecer por vocês estarem levando a verdade sobre alimentação e saúde a quem quer saber. Quanto mais tenho aprendido, mais tenho criado uma consciência alimentar, e a meu ver, a alimentação moderna de hoje não tem sentido, parece mais com autodestruição. Brigadão!

        • É verdade. E o pior é que muita gente ainda tem a idéia de que essa alimentação moderna é a correta. Mas cabe a nós que já percebemos a furada que é se entupir de trigo, leite e farinha alertarmos quem ainda não vê, Felipe! Vamo que vamo!

          • Felipe Santos A.

            É isso aí! Comecei a espalhar!

  • André

    Amigos, vocês recomendam MUITO o óleo de coco, certo? Porém, aqui na minha cidade, ele é MUITO caro e vem pouca quantidade.

    Eu uso manteiga natural que uma amiga minha faz (ela tem vacas de pasto…). Posso usar SOMENTE a manteiga, sem me preocupar com óleo de coco? É muito mais barato e viável para mim….

    • André, que felizardo que você é por ter acesso a essa manteiga. Veja o artigo sobre ghee sem falta =D Eu utilizo pouco óleo de coco, mas utilizo o coco mesmo, geralmente ralado, e em pedaços pra mastigar e fortalecer o maxilar. Abraços!

      • André

        Verdade, Geosh! Por aqui é fácil achar alimentos de qualidade e naturais.

        Cocô também tenho sempre em casa, hehe.

        Abraço.

        • André

          Em tempo: vi o post sobre o ghee e com certeza irei fazer. Não sei como perdi esse, sempre leio TUDO que é postado aqui =)

          • Cara, Ghee é SENSACIONAL =D

  • Amilton

    E pra quem é vegetariano estrito e vegano? Quais seriam as fontes vegetais boas? Óleo de coco?

    • De gorduras, Amilton? Abacate, azeite e azeitonas, óleo de coco, nozes e sementes =)

  • Muito bom, muitas informações úteis e que vão ajudar muita gente! Parabéns!