• Subscribe to our mailing list

    * indicates required Nome * E-mail Principal *
  • fome emocionalAh! Tenho certeza que o assunto de hoje é de seu interesse! Afinal, quem de nós não come por motivos emocionais?

    Comida é um conforto que usamos rotineiramente não só para ajudar na satisfação da fome, mas sim, para aliviar nossas emoções!

    Agora, por que fazemos isso? Por que o “vício” de comer emocionalmente é o mais difícil de se tirar e qual realmente é o caminho correto a se seguir para se livrar dele?

    Tudo isso eu vou cobrir agora neste nosso bate-papo, tranquilo? Vamos em frente!

    Por que comemos com as emoções?

    Assim como a expert americana neste assunto, Tricia Nelson, diz, nós geralmente comemos com as emoções por 3 motivos principais! São eles:

    • Alivar uma dor ou desconforto emocional.
    • Como forma de “escapar” da realidade um pouco.
    • Como forma de se punir ou se conformar.

    Você pode pensar no seu caso e se identificar com um ou mais dos ítens acima. Estas são as principais razões, pelas quais, comemos com as emoções!

    Claro, muitos de nós comemos também como prêmio ou recompensa, mas nestes casos, geralmente é algo que fazemos voluntariamente e que não chega, na maioria dos casos, a ser um problema.

    Bom, se pensarmos um pouco sobre as 3 causas, faz, realmente, sentido, não é?

    Sabe quando temos aqueles dias cheios e estressantes? Estamos pra baixo, chegamos em casa e resolvemos comer o que é que for para confortar este sentimento. O problema é que isso geralmente acaba causando outros sentimentos ruins depois de arrependimento, desânimo com o peso, saúde, etc. Este é só um exemplo.

    O interessante é que nós sabemos, racionalmente, que comer com as emoções não é bom pra nós, etc, etc. Mas quem disse que nossa razão tem mais poder que nossas emoções? Não, não! :)

    Mesmo entendendo conscientemente que estamos com “fome emocional”, isso não ajuda em nada. Não adianta força de vontade apenas para curar este tipo de coisa. Nós, seres humanos, somos comandados por emoções! São elas que decidem o que e quando fazemos as coisas, logo, nossa atenção deve ser focada nelas!

    Comer emocionamente é, sim, um vício e digo mais, é um dos vícios mais difíceis de serem curados e por motivos bastante interessantes. Isso que veremos no ponto abaixo:

    Por que o vício da comida é o mais difícil de se tirar?

    Bom, pra começar, quando você come com as emoções, seja sincero(a), você vai na geladeira querendo encher a cara de brócolis? Não né! Nós procuramos comidas que nos confortem, que nos dêem um prazer imediato.

    E quais são elas? Carboidratos, obviamente. Mais especificamente, DOCES! Isso!

    Na maioria das vezes, procuramos por algo doce! Nosso DNA é codificado para sermos magnetizados em direção à coisas doces! Imagine, pela perspectiva da sobrevivência, qualquer alimento doce encontrado na natureza, é denso em calorias e fornece energia preciosa para o nosso corpo. Porém, na natureza, são raros os alimentos que são doces mesmo. Logo, quando encontramos algo, tendemos a realmente aproveitar. O problema é que hoje nós encontramos esses alimentos a qualquer hora e em qualquer lugar.

    Enfim, o ponto é que nós queremos comida que nos dê prazer e os doces são geralmente a primeira opção.

    Agora, veja uma estatística interessante. No século 18, as pessoas consumiam uma média de 2kg de açúcar por ano! Agora, nos tempos atuais, uma pessoa consume em média 65kg de açúcar por ano! Que tal? Esta estatística foi mencionada pela Dr. Nicola Bird em entrevista.

    O açúcar está em todo lugar e está mais acessível do que nunca! Agora, veja por que isso é ruim.

    Açúcar vicia (artigo sobre isso)!! Sim, carboidratos refinados e densos como massas, pães, doces, bolos, etc, causam dependência fisiológica no seu cérebro! A maioria de nós já está viciada e nem ao menos sabemos disso.

    Uma forma fácil de você fazer um teste é tirar qualquer tipo de alimento doce e derivado de farinha de trigo da sua dieta alimentar por 1 semana. A maioria das pessoas vai sentir uma vontade LOUCA de comer um pão, massa, etc e outros ainda podem ter sintomas de absinência como dores de cabeça, etc. Isso é fato, é documentado cientificamente.

    Agora veja, estas coisas não existiam no mundo durante a maior parte da história humana, logo, é fato concreto que estes alimentos NÃO são essenciais e necessários para nosso corpo, porém, nós ainda sentimos esta vontade LOUCA de comê-los. Sim, estamos viciados.

    Nota: Esta vontade passa quase que magicamente se você persiste na abstinência e começa a incluir alimentos realmente nutritivos na sua dieta alimentar.

    Enfim, poderia falar muito sobre isso, mas este não é o assunto principal.

    Vamos ver agora outros motivo que tornam o vício pela comida ser algo fácil de se adquirir e difícil de se livrar.

    Ser viciado em comida, ao contrário de ser viciado em drogas, álcool, cigarros, etc, é muito mais aceitado socialmente, certo? Ninguém vai, necessariamente, te crucificar por você comer com as emoções, ao contrário, do que acontece se você for viciado em outras drogas.

    Outra coisa, quando estamos viciados em comer emocionalmente, nós não temos saída, ou seja, ao contrário do que acontece com os que são viciados em cigarros ou álcool, nós não podemos ir ao AA (Álcoolicos Anônimos) ,por exemplo, para vencermos a abstinência. Nós TEMOS que comer! É difícil de se livrar de um vício se nós somos obrigados a praticá-lo diariamente, não é verdade?

    Você não precisa fumar um cigarro diariamente para sobreviver, mas precisa, sim, comer! Logo, estar em contato diário com o vício, torna muito mais difícil de se passar por ele.

    Outros fatores ainda complicam. Geralmente quando comemos de forma emocional, tendemos à estarmos estressados por algum motivo. Se estamos estressados, nosso corpo, naturalmente, reduz o nosso metabolismo, ou seja, nós gastamos menos calorias por dia. Porém, justamente por estarmos estressados e pra baixo (na maioria das vezes) é que nós procuramos por conforto na comida e acabamos comendo DEMAIS.

    Péssima combinação, certo? Estresse faz com que nosso corpo diminua o metabolismo, gastando menos calorias e nós ainda comemos a mais!

    Mas caramba, será que existe, então, um caminho da luz para sair desta situação? Isso que vamos ver no próximo ítem.

    Qual é o verdadeiro caminho para a cura dessa situação?

    Por mais óbvio que seja, nós precisamos entender que não adianta tentarmos contar com força de vontade apenas. Nós precisamos nos direcionar às nossas emoções!

    A única forma de darmos sentido à tudo isso e encontrarmos uma “cura” é se encontramos a raiz do problema.

    Se fizermos como a maioria das pessoas faz, ou seja, tentarmos focar na consequência, ao invés, da causa, jamais iremos suceder. Não adianta nos forçarmos a não comer aquele chocolate quando a vontade é matadora! Não adianta! Se você não comer o chocolate, você vai acabar liberando aquela vontade emocional em alguma outra coisa depois, seja comida, brigas com sua família, desenvolvimento de problemas de saúde, etc. Algum escape vai ter que existir para sua carga emocional.

    Logo, precisamos fazer as pazes com nossas emoções. Soa tão simples, porém, eu acredito que isso seja uma das coisas mais difíceis de se fazer.

    O que sugiro, assim como a Dr. Nicola Bird, psicoterapeute PhD americana, diz, é pensar na nossa relação com a comida. Como assim?

    Bom, como eu geralmente digo, o primeiro passo para a solução de qualquer problema é ter consciência de que ele existe. Logo, quando você estiver comendo por motivos emocionais, o primeiro passo que você precisa dar é estar ciente disso. Ou seja, quando você estiver se sentindo pra baixo e pegar aquela barra de chocolate na mão, pense no que esta fazendo e esteja consciênte de que existe uma emoção dentro de você que está engatilhando sua vontade de comer aquele chocolate. Só isso chega.

    Coma o bendito chocolate dessa vez, sem problemas. Se parabenize por ter colocado luz sobre o problema.

    Já que você identificou o problema, tente parar uns 10 segundos e tentar identificar que tipo de emoção que você está sentindo. Você tem vontade de comer o chocolate, tudo bem, mas tente identificar qual a emoção dentro de você que está fazendo com que você sinta a vontade de comê-lo. Será por que foi maltratado(a) hoje no trabalho e está se sentindo com a auto-estima baixa? Será por que você não tem a menor idéia de como vai conseguir pagar as contas? Será por que brigou com o namorado? Será por que simplesmente está desanimado(a) com a vida?

    Enfim, os motivos podem variar muito, porém, ter ciência do tipo de emoção que você está sentindo é algo muito inteligente de se fazer e é um passo importante para a “cura” da situação.

    Agora, mesmo que você encontre a causa certinha, ainda nos resta o hábito que se construiu! Veja, se você vem comendo com as emoções à algum tempo e comendo coisas do tipo doces, massas, etc, isso vicia!

    Logo, mesmo que você cure a parte emocional, o hábito ainda irá estar presente. Porém, o hábito é bem mais fácil de se curar do que a primeira parte que você já venceu.

    Agora, veja a sacada. Uma vez que você conseguiu enxergar as emoções que despertam a gula em você, você pode muito bem usar a sua razão agora para colocar elas em cheque e substituí-las por outras emoções da sua escolha.

    O próximo passo é tentar conectar alguma emoção positiva e isso não é fácil.

    Você precisa pensar algo nas linhas de: “Se o mundo inteiro estiver em chamas e tudo estiver caindo ao seu redor, você ainda terá a si próprio(a)!”.

    Você, o seu ser, a sua alma ou o que for que acredite, ainda existirá e é o seu dever cuidar disso! Se nada mais existir, você ainda vai ter a sí próprio(a) e vai querer cuidar muito bem de si! Você, concorde ou não, é a coisa mais importante que existe no mundo, no seu mundo! Você quer cuidar muito bem de si.

    Quando nos vemos desta forma e acabamos realmente nos aceitando, mesmo com todas as falhas e imperfeições que temos, viramos a chave da mudança dentro de nós e passamos a nos valorizar mais e a nos CUIDAR mais.

    É…. eu sei, papo de auto-ajuda né? hehehe… pois é. Tenha os preconceitos que tiver, pense como quiser pensar, mas saiba que isso FUNCIONA! Simples assim.

    Ao se valorizar e aceitar o seu dever de ser o melhor que pode ser, você começará a ser viciado(a) em se nutrir corretamente! Você começará a sentir vontade de comer alimentos que te ajudem a VIVER e não a sofrer.

    Você terá controle sobre sua gula. Claro, ela ainda vai existir as vezes. Você ainda irá comer por motivos emocionais, sem problemas. A diferença é que você vai ESCOLHER fazer isso quando quiser, irá ter controle sobre isso e não mais será vítima de um vício descontrolado.

    Quando o assunto é emoções, não existe pílula alguma que irá solucionar o seu problema. Podemos ter soluções paliativas, como sabemos, mas estaremos nos enganando. A mudança realmente acontece quando nós, aos poucos, começamos a ver o quão importante nós somos para nós mesmos e que nós, nosso corpo, nossa mente, somos a única coisa no universo, sobre a qual, temos o direito, dever e capacidade de controlar.

    Conecte emoções positivas aos seu hábito de comer com as emoções! Dê preferência à comer para comemorar e celebrar algo ao invés de se confortar somente. Se confortar faz parte e é tudo de bom, desde que você tenha CIÊNCIA do que está fazendo! Você tem o controle :)

    —–

    É isso, espero que o artigo de hoje tenha sido inspirador e que possa motivar você a sempre buscar o melhor em si! O meu papel acaba no momento em que seus olhos passam por estas linhas. Daí em diante, o poder está contigo!

    Eu pesquisei bastante sobre “emotional eating”, ou seja, sobre comer com as emoções e tudo mais, inclusive, adicionei um ótimo capítulo motivacional no livro eletrônico oficial aqui do site e posso te dizer que, por mais que a ciência avance, a cura verdadeira estará sempre dentro de nós!

    Um grande abraço e viva saudavelmente,

    Assinatura_pequena-menor

     

     

    Referências Interessantes

    Dr. Nicola Bird - http://www.drnicolabird.com

    Tricia Nelson – www.healyourhunger.com

    Related Posts with Thumbnails

    Subscribe to our mailing list

    * indicates required Nome * E-mail Principal *

    Fundador do EmagrecerDeVez.com e autor de 2 livros eletrônicos bestseller: Emagrecer De Vez e Hipertrofia Muscular.

    Share →

    47 Responses to Comer Com As Emoções! Como Curar Esse Vício?

    1. Regina disse:

      Ótimo texto, mt obrigada!

    2. Celma Ferraz disse:

      Obrigada Rodrigo. Boas ferias.

    3. Paula disse:

      Excelente!

    4. Alan Roma disse:

      Parabéns por mais um ótimo artigo!!!

    5. Dennys Silva disse:

      Baseado em minha própria experiência com as mudanças de hábitos alimentares e também no que tenho estudado sobre comportamento (sou psicólogo), acho importante a pessoa aprender a diferenciar 1) uma vontade louca por doces causada por uma alimentação e hábitos de vida que induzem a isso e 2) uma vontade mais relacionada à fuga ou esquiva de sentimentos ou emoções negativos. No primeiro caso, que inclusive aconteceu comigo, se a pessoa restringe demais os carboidratos, faz muitos exercícios na academia e ainda tem uma vida agitada no trabalho, cedo ou tarde o corpo vai pedir doces… Muitas vezes, só de se ver nessa situação (vontade louca por doces) a pessoa fica ansiosa e culposa… E aí essas emoções levam a culpa, quando na verdade o que causou tudo foram os hábitos (dieta muito restrita+exercícios em excesso+vida agitada). Porém há os casos em que, de fato, a pessoa aprende a fugir de emoções negativas se empanturrando de comida, sobretudo carboidratos… Precisamos ficar atentos pra discriminar o que nos causa o impulso aos doces e tomar cuidado pra não jogar a culpa nas emoções, só porque ocorrem ao mesmo tempo da vontade por doces. Fiquei feliz em ver um texto sobre isso no site. Acho que estava faltando.

      • Geosh disse:

        Concordo com você, Denis. Exceto pelo fato da causa fisiológica estar ligada a restrição de carboidratos. No geral ela está ligada ao consumo de carboidratos simples. Se você os elimina completamente, e consome uma quantidade razoável de gordura boa, seu corpo dificilmente vai pedir carbs tanto quanto pediria umas 2 ou 3 horas após o consumo deles.

        • Dennys Silva disse:

          Não havia pensado por esse lado. Na verdade você está dizendo que quanto mais se come carbo simples, mais o corpo pede? Isso acontece também com os carbo de indice glicêmico menor, tipo batata doce ou só com os simples? E quanto seria mais ou menos uma quantidade adequada de gordura boa? Em todas as refeições é válido?

          • Geosh disse:

            Correto, Dennys. Diminui exatamente de acordo com o índice glicêmico. Do seu total calórico, o que não vier de carbs e proteínas deve vir de gorduras boas, aí dá pra fazer as contas.

    6. clara disse:

      …muito bom esse artigo! Em 01 de março,comecei uma reeducação alimentar e retirei todos os carbos (doces, pães, massas…etc) da minha alimentação e foquei nas proteinas, verduras, legumes e frutas e confesso que hoje (01/04) eu fui pesar de manhã e consegui perder 5 kilos tranquilamente e sem sofrimentos (estava pesando 65kg ) e fiquei súper feliz com o resultado! Não quero mais os carbos pra minha vida e vou seguir esse rítimo de agora em diante e manter esse estilo de alimentação pois vi os beneficios que me fez e quero passar esta experiência pra outras pessoas!
      Abços e bom descanso!

    7. Débora disse:

      Adorei ler!!Eu sou uma comedora compulsiva disso não tenho duvida, mas sei bem o que me faz comer e o que gosto de comer então depois de muito ler e pesquisar resolvi deixar de consumir farinha de trigo e açúcar como vc disse na hora de comer compulsivamente era em busca de alimentos com farinha e açúcar que eu ia…hoje eu evito a primeira mordida e tenho uma alimentação a base de proteínas, legumes, vegetais e gorduras ainda estou me acostumando, mas decidida a evitar a primeira mordida compulsiva…gostaria que fosse pra sempre pois tenho medo de ser como um alcoólatra que a acha que pode beber ocasionalmente ( e não pode) não sei se eu conseguiria comer um chocolate hoje e amanha voltar a dieta não sei mesmo então por enquanto não como…
      bjsss

      • Geosh disse:

        Com o tempo você vai sentir cada vez menos necessidade, Débora. Seu corpo aprenderá a funcionar de outra forma, e você verá na prática os benefícios disso. Então desde que você continue consciente, com o tempo você vai poder voltar a aproveitar um ou outro docinho.
        Bjs!

    8. Elany Moreira disse:

      Amo tudo que é publicado aqui!!!

      Feliz em ter este site como fonte de pesquisa para nossa saúde e bem estar!!!

      Thank’s guys!!

    9. Clara Miranda disse:

      Este artigo é quase a minha cara.
      Não como minhas emoções (muito raro) nem como porque estou com fome: como porque estou com vontade de comer.
      Estou bem, tranquila, nem triste, nem feliz, nem cansada, nem nada. Estou normal e passo o dia pensando o que vou comer, fico pensando em comer determinadas coisas.
      Ou seja, como mesmo por vontade de comer.
      Mas, a forma de combater isso é a mesma.
      :)

    10. Silvania disse:

      Valeu Rodrigo, são sempre maravilhosos.
      Parabéns!

    11. Norberto Batista Rodrigues disse:

      Show de bola o artigo Rodrigo!!! Parabéns e boas férias!!!

    12. Rodrigo, muito obrigado por todas essa informações tão importante
      que você nos traz sem nenhum custo. Você é maravilhoso!

    13. Sandra disse:

      Rodrigo a cada dia que passa vejo a importância dos assuntos que voçê posta sao muitos inspiradores .Um grande abraço uma otima ferias.

    14. Sandra Ferreira disse:

      Meninos, esse artigo mexeu comigo! Cortei bastante carbs (ainda não eliminei totalmente) da minha alimentação por aproximadamente 20 dias e já eliminei 3 quilinhos. Que coisa do mal essa tal farinha e o tal açucar né? E junta com o estresse diário…bjs e muito obrigada pelas valiosas informações.

    15. silvana disse:

      captei a mensagem o mais dificil e´ver se nao vejo nao tenho tanta gula,mas presisamos de incentivo,valeu.

    16. sandra gomes santana disse:

      Rodrigo estou muito feliz depois que comecei a ler seus artigos, tenho procurado fazer certinho fico naquela do 80 20 então como sem culpa tipo ovo de páscoa ganho o dia quando você deixa incentivos me sinto mas forte para prosseguir porque não é facil! fique com Deus e boas férias

    17. Alba Valeria disse:

      Obrigado amigo por esse post que caiu como uma luva na situação em que eu estou vivendo com ele pude reconhecer o meu problema,faço academia mas chega a noite e não consigo me controlar,ontem mesmo aconteceu isso,e sei que é de fundo emocional,e seu post reforçou mas o que eu já imaginava,agora vou apartir de agora combater a partir do problema,a causa!!!Bjs amigo e de novo muito obrigado msm!!!

      • Geosh disse:

        Eu acredito que geralmente é Fisiológico, Alba. Aquela fome desesperadora a noite raramente acontece se vc tem uma ótima refeição 30 minutos depois de acordar, e come bem ao longo do dia.

    18. marisafaleiros@hotmail.com disse:

      Oi Rodrigo,esse artigo veio para me alertar e refletir.Sou uma pessoa que tem a vida emocional super complicada,uma verdadeira montanha russa e gente não para para pensar,mas procuro minhas fulgas,prazer,enfim,me sentir bem comendo ou comparando,o problema e que comendo coisas erradas como foi dito no artigo,depois o problema desespero e frustração pelo ganho de peso,o que e umauta constante em minha vida para equilibrar.Mas vamos a luta,seu site e artigos tem me ajudado e motivado muito!
      Um grande abraço!

    19. sandra disse:

      EXELENTE

    20. Oliane disse:

      Para falar a verdade eu só estou conseguindo fazer uma mudança de hábitos alimentares, por conta de começar a fazer meditação e relaxamento. Minha vida mudou, porque só encontramos paz para tudo que nos aflige nesta vida, quando entendemos que a cura está dentro de nós mesmos. “Podemos mudar o mundo, mudando a si próprio”.

    21. Fátima José da SILVA disse:

      Parabéns !! Esse site está cada vez melhor…amo tudo que vocês publicam aqui.
      Quero dizer que lendo, observando tudo ,fiquei mais de um mês. Até que tive iniciativa pra começar a colocar em pática. Tirei os carboidratos indesejáveis,açúcar,adoçante não estou usando nenhum.porque até agora não entendi o que devo usar.Será que posso usar o açúcar orgânico? hehehe..mesmo nessa dúvida, já estou com quatro quilos a menos ..em quatro semanas.. estou super feliz.vou chegar onde pretendo se Deus quiser..graças a vocês.Obrigada Rodrigo.Obrigada Geosh.
      Abraço..até breve.

      • Geosh disse:

        Parabéns, Fátima!!! 4 quilos já, vamo que vamo!!! Você pode usar a estévia natural se conseguir. Acho que pro emagrecimento deixar os açúcares de lado é melhor!
        Disponha! Abraços!

    22. Rosimeire disse:

      Oi pessoal do emagrecer de vez eu comprei o livro eletrônico já faz 4 dias e não recebi o meu ainda eu estou muito ansiosa para recebe-lo será que deu algo errado vocês falam que em 72 horas a pessoa recebe o livro e até agora não recebi o meu por favor me responda o que aconteceu se deu errado ou quando vou recebe o meu livro eletrônico desde já agradeço pela resposta.

    23. Daniela disse:

      Boa noite!
      Vou continuar insistindo em receber uma resposta. Isto é um absurdo!!!!!!
      Comprei o livro eletrônico, verifiquei junto a operadora de crédito e o valor já foi debitado, porém até agora não recebi livro algum. Ao me cadastrar coloquei o email errado, no mesmo momento mandei um email para o contato@emagrecerdevez.com, não me responderam nada até o momento. Tenho medo de ter entrado numa furada e de ter passado dados com o CPF e num de cartão de crédito. Preciso de uma resposta URGENTE.

    24. Hígia disse:

      Maravilhoso artigo!!!!!!!!!!!!11 Venci essa face já! Alimentos não me dominam mais. EU os domino. Que bom. Artigo perfeito, site excelente.

    25. Edvani disse:

      Adorei o artigo! Me senti realmente mexida, chorei muito, pois percebi que muitas vezes, acabo fazendo isso mesmo, principalmente, quando consigo emagrecer, acabo por me sabotar e na semana seguinte, acabo ganhando peso! Realmente, percebi que acabei me abandonando, e como você mesmo escreveu no artigo, precisamos cuidar de nós mesmos. Poxa Rodrigo, estou me sentindo triste agora, mas, aliviada, por perceber o problema, triste, por perceber o que vinha fazendo comigo! Acho que seu artigo me vez abrir os olhos, obrigada!

    26. Tereza Augusta disse:

      Muito bom esse texto…estava precisando ler isso da forma que foi escrito…sem tanta ciência, mas com muito carinho humano, é como se o autor tivesse realmente vivido isto. Com foi bom ler esse texto…muito bom mesmo…me identifiquei bastante e vou seguir essas dicas….e sei que vou conseguir…não vai ser fácil, mas vou conseguir.

    27. Luciana disse:

      No meu caso,sinto uma prazer muito grande ao comer doce.Amo!
      Pra mim,a melhor hora do dia é quando posso comer meus doces e assistir minhas séries com calma.
      Como faço,se gosto tanto e não vejo como um problema de fundo emocional?

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

    Subscribe to our mailing list

    * indicates required Nome * E-mail Principal *